Por que Cristiano Ronaldo não pode ganhar a Bola de Ouro

Atualizado em 29 de dezembro de 2014 às 15:33
Foi um fiasco no torneio mais importante do mundo
Foi um fiasco no torneio mais importante do mundo

Ladies & Gentlemen:

Corremos o risco de ver um absurdo no futebol logo no começo de janeiro, mais precisamente no dia 12.

Neste dia, Cristiano Ronaldo poderá ganhar a Bola de Ouro, como o melhor jogador de 2014.

Pode e deve, a rigor.

Ladies & Gentlemen: em pleno ano de Copa do Mundo, premiar um jogador que não jogou nada e foi desclassificado miseravelmente na primeira fase é um acinte.

Copa do Mundo é Copa do Mundo. O resto é menor, bem menor, incluída a Champions League.

Os mais afoitos podem retrucar: “Mas o time não ajudou.” Devolvo: ele não ajudou o time.

Messi, numa equipe nem pior e nem melhor que Portugal, levou-a ao vice-campeonato. Por um detalhe a Argentina não foi campeã: Messi teve a chance na prorrogação, mas a bola que sempre obedece a seus comandos daquela vez se rebelou e saiu para fora.

Entre Cristiano Ronaldo e Messi, Messi sem dúvida.

Mas em ano de Copa o vencedor da Bola de Ouro tem que ser campeão do mundo. Isso quer dizer que o prêmio tem que ir para o jogador que faz companhia a Messi e Cristiano Ronaldo na lista tríplice da Fifa: o goleiro alemão Neuer.

Ladies & Gentlemen: goleiro é em geral uma função desprezada. Desde garotos, os piores da turma são cruelmente empurrados rumo ao gol.

Ninguém gosta de ser goleiro. Você ganha menos do que os outros e em geral só é reconhecido pelas falhas, ou como diz Boss, pelos chickens. (Nota da tradutora: frangos.)

Mas Neuer reinventou a arte de ser goalkeeper. Ele não se limita a defender. É também uma espécie de líbero, um último zagueiro que sabe desarmar adversários e entrega a bola aos jogadores de seu time com classe, calma e precisão.

Trata a “little fat” (nota da tradutora: gorduchinha) como uma amiga ou, mesmo, uma namorada.

E principalmente: é campeão do mundo.

Nada mais justo que a Bola de Ouro ser entregue ao inovador arqueiro alemão.

Sincerely.

Scott

Tradução: Erika Kazumi Nakamura