Por que não deixaram Fauzi na Rússia? Por Moisés Mendes

Eduardo Fauzi estava sendo procurado pela Polícia Civil do Rio Foto: Divulgação

Trarão de volta ao Brasil o militante de extrema direita Eduardo Fauzi, preso pela Interpol na cidade russa de Ekaterinburg. É o sujeito que atacou a sede do Porta dos Fundos com coquetéis molotov, no ano passado. São tantos os casos de fascismo que muitos nem se lembram mais do episódio e do sujeito.

Logo depois de escapar para a Rússia, ele apareceu em vídeos debochando dos que permitiram sua fuga. Agora será extraditado, com tudo pago pelo governo, e chegará aqui e será solto.

Pode se juntar a Sara Winter para voltar a fazer o que sempre fez com ameaças a todos os que considera inimigos do bolsonarismo. O sujeito só deu um tempo por lá, deixou as coisas esfriarem e pode estar de volta à militância na extrema direita incendiária.

O Brasil fez o que deveria ser feito ao pedir ajuda da Interpol em Moscou para que ele fosse localizado e preso. É uma formalidade. Fauzi já se envolveu em mais de 10 casos de violência.

Mas aqui, antes de responder ao primeiro interrogatório, é possível que seja solto e se junte à sua turma. Não duvidem se aparecer em lives com Sara e outros parceiros.

É provável até, antes de voltar a agir, que delate os outros quatro participantes do atentado. O que talvez não queira dizer nada.

Os fascistas participantes do Gabinete do Ódio também já foram identificados. Alguns dos autores de ataques virtuais ao Supremo já foram presos. Sara Winter foi presa.

Todos estão soltos. Não há nada que indique que possa ser diferente com Eduardo Fauzi. Ah, mas ele jogou bombas num prédio. Pois é. E Sara Winter ameaçou Alexandre de Moraes de morte mais de uma vez. Escolheu como alvo um ministro do Supremo.

Todos os outros militantes da extrema direita ligados a grupos semelhantes são violentos e ameaçadores. Todos estão soltos.

Leandro de Souza Cavalieri Valle, que jogou fogos de artifício no Supremo, está solto. Leandro é o mesmo sujeito que foi para a frente da casa de Felipe Neto e fez ameaças de morte ao youtuber.

Também não aconteceu nada com a advogada Claudia Teixeira Gomes, que escreveu nas redes sociais que as filhas dos ministros do Supremo deveriam ser estupradas.

Mas a Justiça está processando todos eles. A Justiça sempre está processando a direita. Como processa Aécio, Serra, Alckmin e outros criminosos do tucanismo.

A direita e a extrema direita enfrentam o sistema de Justiça no gerúndio. Estão investigando, estão denunciando, processando. Estão quase condenando, estão prendendo e libertando.

Geralmente, estão apenas absolvendo. Por isso ninguém deve comemorar a prisão do incendiário na Rússia. Ele pode voltar a fazer aqui o que não podia fazer lá.

Eduardo Fauzi vai poder reencontrar o pessoal impune da sua turma. Todos em liberdade.

(O título desse texto é uma provocação, mas é também o sentimento de grande parte dos brasileiros enfarados com a impunidade da direita e da extrema direita)

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!