Precisamos falar sobre desfiliação da CSP-Conlutas, central sindical que apoia prisão de Lula. Por Saulo Pinto

A CSP-Conlutas não apenas virou uma aparato sindical burocratizado e degenerado, como hoje é apenas um espaço reacionário. O 4° Congresso da CSP-Conlutas acaba de aprovar uma ‘combativa’ resolução contra a ‘ditadura’ venezuelana e pelo Fora Maduro! Trata-se de, mais uma vez, uma posição que reitera o ímpeto imperialista em destruir completamente a hegemonia chavista. Noves fora nossas diferenças com o governo Maduro, a aprovação neste congresso – numa conjuntura de reativação do fascismo global – de uma resolução pela direita é absurda e politicamente reacionária.

Mas não pararam por aqui. Foi aprovada uma resolução que defende a continuidade de Lula na prisão. Enquanto os próprios procuradores da Lava Jato – que foram os responsáveis pela operaçao ‘ilegal’ da prisão do Lula – solicitam a progressão da pena ‘ilegal’, a CSP-Conlutas aprova uma resolução que reivindica a permanência da ilegalidade da prisão de Lula.

Não se trata de uma posição menor na conjuntura. Estamos diante da mais flagrante capitulação anti-proletária e anti-socialista adotada por uma central de trabalhadores. É uma posição famigerada, absurda, que precisa ser denunciada amplamente. Na verdade, não há mais sentido que depositemos nossas energias políticas coletivas na construção de um aparato sindical colaborador dos imperialistas e dos golpistas. Hoje, sobre a prisão ‘ilegal’ de Lula, a esquerda democrática se divide em duas posições: aqueles que defendem a liberdade imediata de Lula e aqueles que são colaboradores do governo bolsonaro e defendem a permanência de Lula na prisão.

A liberdade de Lula hoje representa mais do que a defesa intransigente das liberdades públicas, mas, sobretudo, estamos diante da luta contra a oligarquia política ultrapassada pelo fascismo bolsonarista. Tanto a oligarquia como o fascismo são variações do mesmo projeto estratégico do mundo de hoje. Lula foi preso para que fosse impedido de ser candidato à presidência. Essa tática foi a única maneira que poderia garantir a vitória eleitoral de Bolsonaro. As matérias produzidas pelo ‘The intercept’ demonstraram que a Lava Jato foi uma operação política muito definida. Não é razoável coadunar com a prisão política de Lula. Quando os procuradores da Lava Jato são os responsáveis a pedir a progressão da pena ‘ilegal’ de Lula e a CSP-Conlutas aprova resolução para que Lula seja mantido na cadeia, temos que nos perguntar: a quem serve hoje a CSP-Conlutas?

Sem hesitações: Desfiliação Já!

.x.x.x.

Saulo Pinto, professor do departamento de economia da Universidade Federal do Maranhão.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!