Preço abusivo, falta de testagem e intermediário no negócio: conheça alguns dos problemas da Covaxin

Covaxin

Uma análise feita pelo perfil de @bbernartt_ sobre a Covaxin chamou a atenção por seus dados e as dúvidas que ele expõe. Veja:

Estão fazendo a análise errada da aquisição da Covaxin, e se continuarem nessa direção, darão com os burros n’água. De novo. Vamos por partes: a Covaxin foi desenvolvida inteiramente na Índia (diferente da Covishield, que foi desenvolvida em Oxford, e produzida na Índia)

A Bharat Biotech teve SUBSÍDIOS do Governo Indiano para o desenvolvimento e produção da vacina. Pois bem, eles estão comercializando a Covaxin para seus respectivos estados a Rs600 (US$8), e para hospitais privados a Rs1200 (US$16). Quando isso foi anunciado, houve um rebuliço na Índia, porque ninguém entendeu como que um produto feito inteiramente lá, podia custar mais para o povo do que as vacinas importadas. Mais que isso: a Covaxin utiliza uma amostra inativada do SARS-CoV-2. Essa tecnologia é conhecida desde a década de 50, não é novidade.

É a mesma tecnologia, por exemplo, utilizada na CoronaVac. Mas, há mais problemas: a Bharat Biotech ainda não publicou os resultados revisados da Fase 3 dos testes clínicos, ou seja, como praticar um preço absurdo sem garantias? Calma, não terminou o show de complicações,

O custo de produção de UMA dose da Covaxin, fica entre Rs40 e Rs70 (US$0,54-0,94). Ou seja, ao comercializarem por mais de US$15, estão praticando uma margem gigantesca (lembrando que receberam subsídios estatais no desenvolvimento, o que deveria reduzir o preço final).

Crédito:Naveen Sharma / SOPA Images/Sipa USA/Reuters

Então, ao invés de focar na novela Luiz Miranda/Onyx Lorenzoni, pensem no seguinte raciocínio:

– Por que o Brasil recorreu à Precisa Med para intermediar a negociação com a Bharat, sendo que poderia ter tratado diretamente? +

– Por que o Brasil aceitou pagar US$15 em uma vacina de vírus inativado, sem resultados da Fase 3 dos testes clínicos, quando o preço dela é considerado abusivo até mesmo pelos próprios indianos? Foi uma decisão baseada em quê?

– Por que encomendaram 20 milhões de doses dessa vacina, sabendo de tudo que foi citado acima, e optaram por adquirir menores quantidades de vacinas que já possuem estudos e tecnologias mais avançadas, além de preços mais baratos?

Porque sinceramente, pessoal. Se caírmos na armadilha de apostar todas as fichas no deputado trambiqueiro e no teatro do Duchaelétrica, é bem provável que dê merda. É isso.