Presidente do TRF 4 defende prisão em 2ª instância e diz que não estava falando de Lula. Ah, bom. Por Kiko Nogueira

Thompson Flores, presidente do TRF 4

Em agosto, o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Carlos Eduardo Thompson Flores, foi generoso sobre a sentença de Moro condenando Lula.

Era “tecnicamente irrepreensível, fez exame minucioso e irretocável da prova dos autos e vai entrar para a história do Brasil”.

Para o desembargador, Moro “é um juiz muito preparado, estudioso, íntegro, honesto, cujo trabalho já está tendo um reconhecimento, inclusive internacional. É um homem que está cumprindo a sua missão”.

Etc etc.

Nesta sexta-feira, dia 23, em São Paulo, Thompson Flores deu mais uma alegria à sua torcida e garantiu que o recurso de Lula será julgado rapidamente pela Corte.

“O tribunal tem sido rápido”, avisou ao Estadão.

Defendeu ainda a manutenção do entendimento atual do STF que autoriza a detenção em segunda instância.

“Eu acho que o ideal para a efetividade da Justiça é que se mantenha a posição do Supremo que foi deliberada há pouco mais de um ano no sentido que está vigorando hoje, que há possibilidade da execução provisória da pena a partir das decisões de segunda instância”, afirmou, depois de uma palestra na Câmara Americana de Comércio (Amcham).

Segundo o jornal, Thompson Flores “reforçou que não estava defendendo a prisão de Lula, mas falando da tese em geral.”

Ah, bom!

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!