Problemas da vacinação no Brasil levantam polêmicas sobre o tema

A cada dia, os problemas da vacinação no Brasil parecem aumentar. São atrasos nas doses, pouca adesão das pessoas, informações falsas… Situações que colocam em cheque o que especialistas vêm defendendo ano após ano: a efetividade das vacinas.

As vacinas são produzidas a partir de agentes semelhantes aos que provocam as doenças. Esses agentes porém, são atenuados. Assim que aplicados no organismo, eles estimulam o corpo a se defender.

Como resultado, o usuário consegue criar anticorpos contra o problema. Ou seja, células de defesa. Deste modo, se uma infecção real tentar atacar o organismo do indivíduo, ele saberá como de defender, evitando a doença.

Ainda hoje, porém, existem várias dúvidas sobre a eficácia dos remédios. Se eles valem mesmo a pena, por que têm ocorrido surtos de várias doenças no País?

O Programa Nacional de Imunizações (PNI), com o calendário de vacinação no Brasil, foi criado em 1973. Mas, com o tempo, a procura pelas vacinas vêm diminuindo no País.

As vacinas realmente funcionam?

Só em São Paulo, a adesão à vacina contra doenças como poliomielite e meningite caiu cerca de 14% em 2018. Essa evasão tem relação com diversos aspectos, que explicaremos logo mais.

Antes de tudo, porém, é importante destacar uma informação: as vacinas funcionam! Para o desenvolvimento de uma fórmula eficaz, os cientistas passam anos e anos em pesquisa, fazem testes em animais, depois em seres humanos. Só então a vacina é testada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e autorizada pelo Ministério da Saúde.

Mesmo com esse dado, você pode estar pensando naquele post do Facebook. Aquele, em que um amigo disse que as vacinas não são necessárias, ou que causam autismo. Informações deste tipo são cada vez mais comuns, e igualmente falsas.

Antes de repassar dados sobre vacinas, é importante pesquisar sobre o assunto, em uma fonte confiável. Se o jornal da sua cidade não noticiou o dado, você poderá consultar o seu médico. Ele poderá confirmar que o mito é simplesmente isso: um mito.

Voltemos, então, ao tema central deste texto. Se as vacinas funcionam, por que a imunização tem sido insuficiente? Há casos recentes, por exemplo, de surtos de sarampo e de febre amarela – essa segunda sendo a doença mais falado no mundo, conforme dados da Euroclinix. As respostas são muitas, e listamo-las a seguir. Acompanhe!

Quais as causas dos problemas da vacinação no Brasil?

1. Fake news sobre vacinas

Como já citado, são várias as informações falsas divulgadas na internet, especialmente sobre a vacinação. De acordo com o Ministério da Saúde, este tem sido um dos principais empecilhos para a vacina contra o HPV. Isso mesmo que especialistas reforcem a segurança da vacinação. Independentemente do medicamento oferecido, são muitas as pessoas que ainda desconfiam da imunização.

2. A crença de que as doenças estão erradicadas

Várias doenças no mundo foram aparentemente erradicadas. Mas os seus agentes causadores (vírus, bactérias e fungos) não desaparecem simplesmente. Se eles existiram um dia, podem voltar a “aparecer” e causar novos surtos. Quando a população desconsidera a imunização, ela abre as portas para estes problemas.

3. Precariedade do SUS

Não são incomuns casos de mau armazenamento e perda de vacinas no Sistema Único de Saúde (SUS). Recentemente, várias doses foram colocadas sob suspeita, por terem sido armazenadas fora de câmaras frias em Santa Cruz do Sul. O mesmo já aconteceu em Alagoas e em outros locais do País. Sem contar as várias situações em que faltam vacinas nos postos de saúde.

Toda essa dificuldade em confiar no SUS, ou mesmo encontrar as vacinas, desestimula a vacinação. E é aí que o poder público entra, com campanhas e medidas para obrigatoriedade do serviço.

Vacinação é obrigatória para crianças

Segundo o Ministério da Saúde, não se vacinar pode causar impactos sociais e econômicos ao indivíduo. A não vacinação ainda pode levar a consequências evitáveis, como às sequelas da coqueluche.

De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), “é obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias”. Mas, fora esses cenários, o uso da vacina é facultativo, apesar de bastante frisado pelas autoridades.

Para tentar incentivar a imunização, está em análise um projeto de lei “que condiciona a matrícula no ensino infantil e fundamental à comprovação de imunização”. A obrigatoriedade mais explícita buscaria combater movimentos de desinformação e contra-vacinas.

Resta saber se o Ministério da Saúde irá honrar a distribuição de vacinas para toda a população. Para muita gente, a falta de doses poderá se agravar caso o projeto de lei seja aprovado.

Agora você já sabe quais os principais problemas da vacinação no Brasil. Qual a sua opinião sobre o assunto? Você confia no Calendário de Vacinação do Brasil?

Fontes: Portalamm.org.br

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!