Próxima manifestação da Campanha Nacional Fora Bolsonaro será no dia 7 de setembro

Entre os organizadores estão as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, que, juntas, agregam mais de um centena de organizações sociais – Stefano Figalo / Brasil de Fato RJ

Originalmente publicado em BRASIL DE FATO

A próxima manifestação da Campanha Nacional Fora Bolsonaro será no dia 7 de setembro, quando é comemorada a Independência do Brasil.

“Construiremos, durante o mês de agosto, a convergência entre a Campanha Fora Bolsonaro e as organizações do Grito do Excluídos para realizarmos um grande dia de mobilização nacional e unitário no dia 7 de setembro”, diz nota da campanha divulgada na tarde desta sexta-feira (30).

Entre os organizadores da manifestação estão as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, que, juntas, agregam mais de um centena de organizações sociais.

A Campanha Nacional Fora Bolsonaro, criada em junho de 2020, reúne ainda as centrais sindicais e diversos partidos, como PT, PSB, PDT, PSOL, PCdoB, PSTU, PCB, PCO e UP.

Durante o mês de agosto, a campanha também irá endossar datas já previstas no calendário, como o dia 11 de agosto, quando o movimento estudantil costuma organizar manifestações para marcar o Dia do Estudante, e 18 de agosto, data em que os servidores vão se mobilizar contra a votação da PEC da Reforma Administrativa. “A luta por Fora Bolsonaro prossegue até que se alcance o fim desse governo criminoso que destrói a vida, a economia e a nação”, defende a campanha.

“A Campanha Nacional Fora Bolsonaro vai voltar às ruas no dia 18 de agosto, apoiando a luta das trabalhadoras e trabalhadores do serviço público, mais o conjunto da população que depende do serviço público que está sendo brutalmente atacada com a PEC 32, da Reforma Administrativa”, ressalta Edson Índio, da Frente Povo Sem Medo.

As datas das manifestações de agosto servem também para ampliar a mobilização do 7 de setembro, destaca Jessy Dayane, da Frente Brasil Popular. “Daqui até lá, no mês de agosto, construir um processo de acúmulo de forças, de agitação, de enraizamento e mobilização para ampliar ainda mais a luta pelo Fora Bolsonaro”.

Segundo Dayane, as mobilizações ao longo de agosto serão importantes para setembro, “considerando que essas manifestações produziram um importante desgaste contra o governo”. Mas ela ressalta que é necessário ampliar o horizonte. “Chegar nas periferias, trazer mais gente e especialmente a população mais pobre e que está sendo a principal vítima deste governo”.

Avaliação positiva

As organizações que compõem a Campanha Nacional Fora Bolsonaro fizeram avaliação positiva das manifestações realizadas no último dia 24 de julho. “O quarto dia de mobilização nacional em menos de 60 dias, levou mais uma vez centenas de milhares de pessoas às ruas e alcançou 509 cidades no Brasil e no exterior, o maior número desde a retomada das mobilizações de rua”, destaca o comunicado da campanha.

A campanha também aponta no calendário de mobilizações que deve integrar o ato da Frente pela Vida no Congresso Nacional na próxima quinta-feira (5) e o Mutirão Nacional por Fora Bolsonaro. “Assumimos o compromisso ainda de diversificar as ações e formas de luta da Campanha buscando especial aproximação com os ativistas da cultura, com a religiosidade progressista e com a luta dos povos indígenas”, conclui o texto.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!