“Qual é o problema do governo brasileiro? Bando de grosseiros”, reage ex-ministra de Sarkozy a ofensa de Guedes

Publicado na RFI

Várias lideranças da oposição na França, da esquerda radical à extrema direita, demonstraram indignação nesta sexta-feira (6) após o ministro da Economia do Brasil, Paulo Guedes, dizer que a esposa do presidente francês, Brigitte Macron, era “realmente feia”. Os protestos vieram de nomes como Jean-Luc Mélenchon, da esquerda radical, até  Florian Philippot, da extrema direita, passando por Valérie Précresse, da direita conservadora francesa.

“O presidente disse isso, e essa é a verdade, essa mulher é realmente feia”, disse Paulo Guedes, um ministro peso pesado do governo brasileiro, depois dos recentes comentários de Jair Bolsonaro sobre a esposa de Emmanuel Macron, um fato que provocou indignação na França e no Brasil. O ministro da Economia brasileiro pediu posteriormente desculpas por esta “piada”.

Mas o episódio não passou em brancas nuvens na França. Nesta sexta-feira, a ex-ministra da Educação de Nicolas Sarkozy e atual presidente da região de Ilê-de-France, Valérie Précresse, não se conteve em seu Twitter, e exclamou: “Mas qual é o problema com o governo brasileiro? Depois de Jair Bolsonaro, o ministro da Economia? Bando de grosseiros! Quando eles insultam Brigitte Macron, são todas as mulheres francesas que se sentem insultadas”, publicou, incluindo uma hashtag em português: #Vergonha.

Em uma mensagem também no Twitter, endereçada à Brigitte Macron, o líder do partido França Insubmissa (LFI), Jean-Luc Mélenchon, garantiu que os brasileiros que conheceu estão “indignados com a grosseria de seus líderes” em relação à primeira-dama. “Como eu”, acrescentou o chefe da LFI, em viagem pela América Latina. “Quem insulta você é quem aprisiona Lula inocente. Saiba que sentimos repulsa por tais brutos”, continua Mélenchon.

Campeonato mundial dos misóginos

Para a eurodeputada Agnès Evren, “no campeonato mundial dos misóginos, machistas e insultantes, os ministros brasileiros merecem a medalha de ouro, que vergonha!”. O presidente do partido ultraconservador France Débout, Nicolas Dupont-Aignan, julgou o comportamento dos líderes brasileiros “indigno e inaceitável!”. Florian Philippot, ex-braço direito de Marine Le Pen e presidente de Os Patriotas, também twittou “Que baixeza” .

Jair Bolsonaro já havia causado alvoroço ao publicar no final de agosto, antes de se retirar, um comentário de um post ofensivo no Facebook sobre o físico de Brigitte Macron, no meio da batalha entre Brasília e Paris sobre os incêndios na Amazônia.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!