Quem é a empresária que levou Ronaldinho ao Paraguai. Por Luís Nassif

Publicado originalmente no GGN

Seu nome é Dalia Angelica López Troche, e sempre manteve postura discreta no Paraguai. Ela foi responsável pela ida de Ronaldinho ao Paraguai com passaporte falso.

Dalia é ligada a políticos paraguaios e brasileiros. É proprietária de uma holding, a Permanent Oriental Holding S.A,  e de uma fundação, batizada de Fundación Fraternidad Angelical.

Nos últimos tempos, segundo reportagem do jornal ABC, passou a empreender uma ofensiva de marketing, incluindo doações milionárias de clubes esportivos a concursos de beleza. E uma enorme campanha de promoção em torno do lema “promover a saúde de meninos e meninas”.

Sua base de atuação é em General Aquino e São Pedro, onde, segundo o ABC, teria fortes vínculos com caudilhos locais.

Pelo que foi divulgado, Ronaldinho teria ido ao Paraguai apenas para lançar seu livro “Gênio em vida” e promover a campanha da Angelical, que promete assistência médica gratuita em diferentes áreas, oftalmologia, nutrição, odontologia e fisioterapia.

A campanha foi tão improvisada que a ONG não tem páginas oficiais, redes sociais e nem contatos. Segundo o ABC, no Facebook há apenas numa página chamada de “Ronaldinho no Paraguai”, e o contato é identifica como Luis Ruiz Dias, contratado apenas para cobrir a viagem

Já sua holding, a Permanent Oriental Holding S.A., se dedica  a vários itens, desde o setor pecuário até a importação de veículos rodoviários. O capital social da empresa é de G. 1000 milhões e o vice-presidente é Luis Alberto Gauto, que também estava na lista de pessoas que receberam o ex-jogador no aeroporto Silvio Pettirossi.

O cliente preferencial da holding são agentes públicos. A holding está registrada na Direção Nacional de Compras Públicas como fornecedora estadual nas áreas de passagens e transporte, móveis e eletrodomésticos, equipamentos, acessórios e programas de computador, escritório, educacional, impressão, comunicação e sinalização, embora não registre Sem adjudicação. Segundo o DNCP, o nome fantasia da empresa é Permanent Offert e tem sede em Lambaré.

A empresária é afiliada ao Partido Colorado. O filho da ex-vice-presidente Perla de Vasquez e do ex-vice-presidente Juan José Vázquez, envolvido em vários episódios controversos, é seu secretário particular.

Segundo a reportagem o ABC, em 2017 circulou um vídeo no qual “Moreno” exibia vários pacotes de dinheiro em uma mesa. Vestido com uma camisa vermelha com a inscrição HC (Honor Colorado), gabava-se de dizer: “Ok, então, vamos ganhar dólares. Tudo bem? Isso é válido para Santaní? Não seja na mais výro (ingênuo) ”.

Recentemente, doou um carro 0 km para a vencedora do concurso Miss Paraguai. O anúncio foi feito com bateria e pratos em todas as redes sociais nas quais a figura da empresária foi exaltada e o logotipo da empresa Permanente Oriental Holding está incluído.

Em recente reportagem, a revista Caras, da Argentina, desenha Dalia Lopes como filantropa, elegante e refinada, defensora da ética no trabalho. Dizia ela que “dinheiro não é tudo”, se você não tiver uma imagem social.

O repórter pergunta de sua agenda.

– Felizmente, tenho o apoio de amigos brasileiros e do presidente da Frente Parlamentar Paraguai-Brasil, senador Eduardo Gomes (do Movimento Democrático Brasileiro, MDB). Há também a mão de Adriana Mendoza e Paula Oliveira Lira, grandes amigas ”, responde.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!