Quem é Capixaba, suspeito de passar metralhadoras do Exército ao CV

Atualizado em 2 de novembro de 2023 às 14:20
Jesser Marques Fidelix, o Capixaba, de 30 anos, apontado pela polícia como suspeito de fornecer armas a traficantes do RJ. (Foto: Reprodução)

O Exército e a Polícia Civil do Rio de Janeiro estão em busca de informações para localizar Jesser Marques Fidelix, de 30 anos, suspeito de fornecer algumas das metralhadoras furtadas do Arsenal de Guerra em Barueri, São Paulo, para a maior facção de tráfico de drogas do Rio.

Envolvimento com o Comando Vermelho

Conhecido como “Capixaba”, Jesser é apontado como um “matuto”, ou seja, um fornecedor de drogas e armas do Comando Vermelho. A ficha policial de Capixaba já inclui investigações por estelionato, receptação e uso de veículo roubado em Mato Grosso do Sul.

Nesta semana, a Polícia Civil seguiu os passos de “Capixaba” até a casa de sua sogra na Zona Oeste do Rio, mas não o encontrou. A polícia descobriu que o carro clonado usado por ele estava no Recreio, onde foram encontradas mais duas metralhadoras de calibre .50 desviadas da unidade em São Paulo e um fuzil calibre 7,62.

Na semana passada, as autoridades investigavam a informação de que ainda existiam duas metralhadoras de Barueri no estado do Rio. Esta é a primeira vez que se suspeita do desvio de fuzis, antes apenas se falava em furtos de metralhadoras MAG e .50.

Localização das armas furtadas

O Exército e a Polícia Militar de São Paulo já realizaram operações conjuntas para tentar localizar as últimas quatro metralhadoras furtadas. Até agora, 17 armas foram recuperadas após operações conjuntas com as polícias do Rio de Janeiro e São Paulo.

As autoridades alegam que as armas foram retiradas do quartel por militares, sendo que seis deles são investigados por suspeita de envolvimento direto no furto. As armas foram posteriormente negociadas com facções criminosas, como o Comando Vermelho no Rio e o Primeiro Comando da Capital (PCC) em São Paulo.

Armas roubadas do Arsenal de Guerra do Exército, em Barueri (SP). (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Até o momento, as apreensões incluem:

  • 19 de outubro: 4 metralhadoras .50 e 4 MAGs, calibre 7.62, foram encontradas em um carro roubado e abandonado na Zona Oeste do Rio.
  • 25 de outubro: 5 metralhadoras .50 e 4 MAGs foram recuperadas em São Roque, interior paulista.
  • 1º de novembro: 2 metralhadoras .50 do arsenal do Exército na Praia da Reserva, juntamente com 1 fuzil calibre 7,62 que não estava relacionado ao roubo.

Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram,clique neste link