Quem é Luiz Felipe d’Avila, pré-candidato do PSDB ao governo de SP, e por que ele irá do nada a lugar nenhum. Por Eduardo Reina

Em foto postada por Alckmin, ele com Luiz Felipe d’Ávila, o sogro Abílio Diniz e a mulher Ana Maria

O laboratório eleitoral do PSDB continua sua produção de pré-candidatos às eleições de 2018.

Alckmin gestou agora um cientista político que é casado com a filha de Abílio Diniz – Luiz Felipe d’Avila – como pré-candidato tucano ao governo de São Paulo.

Essa gestação vem causando problemas no ninho tucano.

Tucanos admitem que d’Avila é uma espécie de bode colocado por Alckmin na sala de discussão de candidaturas para manter as rédeas do jogo em suas mãos.

Alguns dizem que o governador joga em várias frentes e quer o domínio sobre as indicações no partido, com vistas em sua candidatura à Presidência da República.

d’Avila é um total desconhecido no meio político e da população, sem carisma algum. “Quem é que conhece esse indivíduo? Doria é um jornalista renomado, está sempre presente na mídia. Esse possível pré-candidato ao governo é um total desconhecido. Ninguém nunca ouviu falar. São duas situações muito diferentes”, diz um tucano. “É um balão de ensaio”, diz outro pré-candidato.

Não acreditam no potencial dele e vislumbram uma derrota caso seja efetivado como representante do partido nas eleições de 2018.  

Mas há outros tucanos que apontam que Alckmin já fez um grande gol quando lançou João Doria para a prefeitura de São Paulo e conseguiu elegê-lo no primeiro turno. 

“O governador sabe o que está fazendo. É preciso gente nova, com ideias novas. Gestores que entendem o mundo como um todo. Que não tenha experiência apenas numa região. O d’Avila preenche esses requisitos”, defende outro tucano.

A filiação de d’Avila ao PSDB foi assinada na semana passada pelo governador Geraldo Alckmin. A confiança de Alckmin a d’Avila é grande. Se conhecem há anos. Por muito tempo, o irmão do pré-candidato, Frederico, foi assessor especial do Palácio dos Bandeirantes, sede do Executivo paulista.

Luiz Felipe d’Avila reuniu-se com a ala jovem do PSDB no dia 21 de agosto. “Ontem a #Conexão45 realizou mais um excelente evento. Desta vez, com o pré-candidato a Governador do Estado de SP, Luiz Felipe d’Avila” escreveu integrante do grupo nas redes sociais.

Esse rapaz escreveu também que “d’Avila falou sobre sua experiência no Centro de Liderança Pública, o seu mais novo livro, ‘10 Mandamentos’, a reforma política e eleições 2018”.

O pessoal do Conexão 45 fala que outros nomes são cogitados como pré-candidatos ao governo do Estado, como o deputado federal e secretário estadual de Desenvolvimento Social Floriano Pesaro e o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa Cauê Macris.

O nome do atual vice-governador, Márcio França (PSB) não é citado nunca.

Nas redes sociais, os jovens tucanos sempre registram hashtags que citam renovação e novas lideranças, como #Conexão 45, #Liderança, # Renovação, #Oxigenação, #Juventude e #Diálogo.

Luiz Felipe d’Avila já assumiu o papel. Alckmin quer torná-lo conhecido. No último dia 23 de julho participou do Roda Viva na TV Cultura. Alguns dias antes havia participado de um programa no portal UOL, onde foi entrevistado pela jornalista Sonia Racy. Ele também vem percorrendo cidades do interior paulista.

Adotou um discurso reformista e pedestre.

Em momento de crise, precisamos focar nas medidas que podem restaurar a confiança no país, a volta dos investimentos e do emprego. Essas medidas são as reformas Previdenciária, trabalhista e política. Elas dependem unicamente do Congresso. Portanto, faça algo como cidadão que contribua para a construção de um países (sic) melhor: ligue para os parlamentares e diga que você apoia as reformas”, escreveu em seu perfil no Facebook.

Luiz Felipe d’Avila e Reinaldo Azevedo, seu ex-empregado

Também vem recebendo apoio nas redes sociais. “Se podemos tirar uma conclusão preliminar dos eventos políticos da semana que termina e projetá-los para a orientação de quem aspira a se apresentar a um pleito majoritário no Brasil pela primeira vez, pois bem, acho que momento nunca foi tão propício. E isso acontece por uma razão muito simples. Já não há a essa altura outra entidade a quem pedir bençãos e apresentações no cenário político nacional. A interlocução agora pode se dar diretamente com sua excelência o eleitor”, escreveu Fernando Dourado Filho.

Tem amplo trânsito entre o empresariado paulista. É fundador do Centro de Liderança Pública (CLP), e ligado ao Instituto Millenium. Sua editora criou revistas como República e Bravo!, extintas.

Ambas “lançaram” Reinaldo Azevedo, que depois ficaria mundialmente famoso como o inventor do termo “petralha”.

O CLP é uma organização fundada em 2008 que “desenvolve líderes públicos empenhados em promover mudanças transformadoras por meio da eficácia da gestão e da melhoria da qualidade das políticas públicas”, segundo seu site.

Paulo Nogueira contou no DCM sobre o período em que d’Avila foi contratado como executivo pela Editora Abril quando esta comprou a Bravo!.

“O casamento com uma Diniz fizera de d’Avila um Diniz. Fazia esportes alucinadamente. Numa ocasião, ao correr de bicicleta em alta velocidade como se fosse Lance Armstrong, levou um tombo espetacular que o obrigou a se afastar do trabalho por vários dias”, escreveu Paulo.

Na Abril, a Bravo! sempre teve vendas irrisórias e se manteve com anúncios do Pão de Açucar e com a Lei Rouanet. O estado é uma mãe para o liberal brasileiro. “O problema do Brasil é o capitalismo de compadrio”, disse ele à Veja em julho.

Amigo dos animais, Luiz Felipe d’Avila já presenteou o filho de seu patrão Roberto Civita, Giancarlo, com um cavalo. 

Alckmin escolhe bem as pessoas.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!