Quem é o grandalhão branco e classe média que humilhou o entregador com ofensa racista

Mateus

POR JOAQUIM DE CARVALHO E EDUADO MATYSIAK

O homem branco, alto, que aparece em vídeo humilhando um entregador com palavras preconceituosas e expressões racistas, se chama Mateus (o mesmo nome da vítima) e é conhecido numa região de condomínios em Valinhos, próximo de Campinas, por ofender trabalhadores.

No dia 31 de julho, Mateus Abreu Almeida Prado Couto ofendeu Mateus Pires, entregador por aplicativo, que estava na entrada do condomínio onde o seu homônimo mora. Almeida Prado Couto já postou textos no passado, em que manifesta admiração pelo guru do bolsonarismo, Olavo de Carvalho.

Era a segunda vez que os Mateus se encontravam no mesmo local. Na primeira, conta o entregador, ele já foi recebido com grosseria, por ter dificuldade de localizar o endereço de entrega. Na segunda, por conta de um problema no interfone, ele foi alvo de ofensa racista.

No vídeo que viralizou na internet, o Mateus do condomínio diz:

“Você nem tem onde morar. Você tem inveja disso daqui”, diz.

Em seguida, se dirige a outra pessoa, aparentemente também morador do domínio e comenta:

“Eu pedi para ele (Matheus Pires) sair fora daqui, e não saiu fora.”

Ele volta a se dirigir ao entregador:

“Moleque, moleque, você tem inveja disso daqui, você tem inveja dessas famílias aqui”, diz o homem, ao apontar para as casas do condomínio e, em seguida, para o antebraço, indicando ser branco.

O entregador, não se intimida e se aproxima do agressor, e responde à pergunta sobre o seu nome: “Mateus”, diz, de cabeça erguida. Também comenta:

“Eu posso ter a mesma coisa que o senhor. Quem te deu isso daqui? Foi seu pai?”.

Em seguida, o homem de camiseta azul aumenta o tom de voz: “Você nunca vai ter” e chama Matheus de analfabeto e mentiroso.

O diálogo é um retrato dos conflitos de classe que existem no Brasil.

Mateus, o do condomínio, vive às custas do pai e da mãe, que é advogada, segundo contam outras pessoas que já foram ofendidas por ele.

Ele é conhecido por circular em uma picape da Ford, que teria ganhado de presente da mãe, e também em um Honda Fit preto, que seria do pai.

Há algumas semanas, ele entrou sem máscara em um restaurante de um pequeno centro de compras da região, o Itamaracá Mall.

Avisado de que não poderia permanecer ali naquelas condições, em respeito a um decreto municipal, ele não saiu e ainda ameaçou o gerente.

“Você é favelado, vou descobrir a quebrada onde você mora e você vai ver”, disse, segundo recorda o funcionário do restaurante.

“Ele assustou outros clientes do restaurante, que se ofereceram para ser minhas testemunhas em uma queixa na delegacia. Preferi deixar para lá, porque ele mora no condomínio próximo, poderia gerar problema”, afirmou.

Mateus, o entregador, preferiu não relevar. Foi à delegacia e registrou ocorrência pelas agressões, incluindo a denúncia por injúria racial.

“Eu falei pra ele que ele não podia fazer mais isso porque ninguém gostava desse tipo de atitude. O que ele faz é pra se mostrar superior as pessoas. Teve um momento em que ele cuspiu em mim, jogou a nota no chão e disse que eu era lixo. Na frente da polícia, ele continuou com as agressões, me chamou de favelado”, disse o entregador.

A mãe do Mateus do condomínio, que é advogada, teria argumentado na polícia que o filho sofre de distúrbios mentais.

Os trabalhadores já ofendidos por ele não concordam, segundo conta o funcionário do restaurante.

Dizem que ele é um playboy que se comporta educadamente com pessoas de sua classe social e ofende os mais humildes.

“Se tivesse problema mental, não ficaria o dia inteiro andando de carro com amigos, para baixo e para cima. Ele se considera superior mesmo”, disse.

A mãe de Mateus, o entregador, foi quem postou na rede social o vídeo da agressão ao filho:

“Mesmo tendo dinheiro pra comprar tudo o que quiser, jamais comprará a educação e o respeito, pois isso vem de berço e o dinheiro não compra jamais.

Não compra. Dignidade também não, que o Mateus entregador mostrou que tem.

.x.x.x.x

Procurada pelo DCM, a Delegacia de Valinhos informou será realizada entrevista coletiva às 16 horas.

Veja o vídeo da ofensa:

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!