Randolfe diz que autorizou importação da Covaxin e não o superfaturamento

Randolfe Rodrigues. Foto: Flickr/Senado

Atacado desde este domingo (27) por bolsonaristas, Randolfe Rodrigues, que relatou a MP que permite importação de vacinas que já foram aprovadas por órgãos sanitários internacionais, diz que não autorizou “o governo a superfaturar vacina” com a medida.

Ele afirma que o problema do esquema não é a emenda de Ricardo Barros, que incluiu à lista a CDSCO (Central Drugs Standard Control Organization), da Índia, mas a corrupção que ela permitiu.

“O Senado tinha o dever de aprovar com urgência, sem nenhuma emenda, como fizemos. Tinha gente morrendo todo dia”.

Bolsonaristas estão usando o senador como alvo por apurar o esquema e ter aprovado a emenda que permitiu que o escândalo ocorresse.

“O que estão tentando fazer é a típica estratégia do criminoso: quando vê que foi pego com a boca na botija, tenta levar todos para a lama. Não conseguirão”, completa Randolfe.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!