Roberto Jeferson dá show de misoginia e incitação à violência contra Guarda municipal e UFJF. Por Denise Assis

Roberto Jefferson

Originalmente publicado em JORNALISTAS PELA DEMOCRACIA

Por Denise Assis

“O Margaridão vai ser desfolhado”. Com esta frase, carregada de misoginia o deputado (PTB-RJ), Roberto Jefferson, promoveu incitação explícita à violência contra a guarda municipal da cidade da Zona da Mata mineira de Juiz de Fora. Ele se referia à prefeita Margarida Salomão (PT), democraticamente eleita, com 144.529 mil votos – 54,98% dos votos válidos, contra o empresário Wilson Rezato (PSB), que recebeu 118.349 mil votos – 45,02%.

As declarações foram feitas durante uma live com o vereador Sargento Mello Casal (PTB), ex-deputado pelo mesmo partido. No “diálogo” Roberto Jefferson defendeu a criação de milícias para a cidade de Juiz de Fora, para agredir e intimidar a Guarda Municipal da cidade e ainda atacou a Universidade Federal de Juiz de Fora e os seus alunos. Em falas assustadoras ele propõe: “está precisando montar umas milícias em Juiz de Fora e dar um pau na Guarda Municipal. Um pau para quebrar, virar os carros. Virar os carros deles, meter fogo e dar um pau neles”, A gravação circula nas redes sociais.

“Monta uma cena para eles chegarem. Aí quando (a Guarda) chegar fecha a rua com pneu, bota fogo, deixa assim, duas viaturas, oito homens, isola os caras. Dá um pau neles de cacete, bate no joelho, no cotovelo, no ombro. Para quebrar a articulação. Bate para quebrar. E eles não vão voltar mais. O Margaridão vai ser desfolhado”, numa referência à prefeita do município, pelo Partido dos Trabalhadores.

ENTENDA – VÍDEO: Roberto Jefferson incita criação de milícia para “dar um pau” em prefeita do PT

O vereador ri divertido, descrevendo a guarda municipal e os PMs da cidade como “tranquilos”. Ele tem nas forças de segurança a sua base eleitoral e se coloca contra as medidas sanitárias – Onda Roxa – tomadas pela prefeita Margarida, para tentar conter o avanço da Covid-19, que já provoca nos hospitais da rede pública uma ocupação da ordem de 93%.

Na manhã desta segunda-feira (29), integrantes da Guarda Municipal foram até às escadarias da Câmara Municipal de Juiz de Fora para protestar contra os ataques feitos pelo presidente do PTB na transmissão do vereador juiz-forano.

“Estamos aqui para manifestar nosso total repúdio às falas criminosas contra nós proferidas em live no último sábado, transmitida pelo canal do vereador Sargento Mello Casal”, diz o líder do protesto. O vereador aparece e “peita” o guarda municipal, provocando e tentando criar o tumulto proposto por Jeferson, na live.

Por meio de nota, o vereador Casal declarou: “Peço desculpas por não ter feito uma defesa incisiva, ainda durante a live porque fui pego de surpresa com as declarações de Roberto Jefferson”.

Em declarações ao jornal O Tempo, o vereador Sargento Mello Casal (PTB), disse que cada um é responsável por suas palavras e que sempre atuou em favor da valorização dos profissionais e entidades da segurança pública e que continuará a fazê-lo. E acrescentou críticas ao fato do grupo de participantes do protesto estarem usando o fardamento da GM. “Toda a manifestação é legítima, mas o Estatuto da Guarda Municipal não permite a utilização de fardamento, equipamentos e veículos para quaisquer atos que não o efetivo cumprimento do seu dever”.

Em um dos trechos da transmissão, ao se referir aos estudantes da Universidade Federal de Juiz de Fora, uma das mais importantes do país, na classificação dos rankings das federais, Roberto Jefferson classifica a universidade de ser  “indústria de gay, de maconheiro, de cocaineiro, de comunista”. E segue disparando:

“Porque a universidade pública federal é lugar para fazer viado, sapatão, cheirador de cocaína e comunista. É o que dá lá, porra. Não adianta. Passa um filho para lá seis meses depois já está tirando a sobrancelha, pintando os cílios, (falando) ‘papi, papi’. Eu tenho um amigo que botou o filho na UFJF seis meses depois ele vem de tamanquinho, camisinha de renda, [falado] ‘papi, papi’. Eu falei ‘ih, virou’. Já viraram o cara lá [risos]”. Em resposta, o vereador comenta: “É impressionante”, responde Sargento Mello Casal.

Em nota, a UFJF informou que vai levar os ataques para discussão na reunião do Conselho Superior da instituição que acontece nesta terça-feira (30). “O objetivo é definir de forma colegiada todas as providências que serão tomadas institucionalmente”.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!