Robinho é condenado em segunda instância na Itália a 9 anos por estupro

Robinho teve contrato rompido com o Santos FC em 2020 – Divulgação / Santos FC

Publicado no Brasil de Fato

O Tribunal de Justiça de Milão, na Itália, condenou em segunda instância o ex-jogador de futebol brasileiro Robson de Souza, conhecido como Robinho, a nove anos de prisão após acusação por crime de estupro.

O atleta poderá permanecer em liberdade até que ocorra um julgamento em terceira instância, na Corte de Cassação, equivalente ao Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil.

Ricardo Falco, amigo de Robinho, foi condenado pelo mesmo crime, que teria ocorrido em uma boate em Milão na madrugada do dia 22 de janeiro de 2013. Ambos foram denunciados por uma jovem albanesa.

Robinho não compareceu a nenhuma das audiências. Ele admite ter mantido relação sexual com a vítima, mas negou as acusações quando foi interrogado, em 2014.

O atleta teve o vínculo rescindido com o Santos F.C. este ano antes mesmo da reestreia no futebol brasileiro após a pressão de patrocinadores, que ameaçaram retirar anúncios da camisa do clube caso a contratação fosse mantida.

Se houver condenação pela Corte de Cassação, a justiça italiana pode entrar com o pedido de extradição pelos canais oficiais ou solicitar o cumprimento da condenação no Brasil. Segundo a legislação brasileira, caberia ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) homologar a transferência de execução da pena.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!