Salário mínimo do Brasil ficou quatro vezes menor que em Portugal. Por Geraldo Seabra

Bolsonaro e Guedes

Por Geraldo Seabra

Começou a vigorar neste primeiro dia do ano o novo salário mínimo no Brasil e em Portugal, respectivamente 1.100 reais e 665 euros.

A uma taxa de câmbio que paga 6,50 reais por cada euro, o trabalhador brasileiro vai receber no final do mês quantia equivalente a 169,23 euros, ou seja, um salário quase quatro vezes menor do que será pago ao trabalhador português.

O novo salário mínimo acrescentou 30 euros por mês ao bolso do trabalhador português, em relação aos 635 € que ele recebia em 2020, ou um acréscimo de 4,7%, com uma inflação em números negativos nos últimos meses de 2020 e com a maioria dos serviços mantendo os seus preços em 2021.

Já o aumento do salário mínimo no Brasil parece coisa para inglês ver. Ao passar de R$ 1.045 para R$ 1.100 , a diferença representa um aumento nominal de 5,26%, mas quando descontada a inflação projetada para 2020 esse aumento real encolhe para 1,2%.

Sem contar a inflação e os reajustes de preços que esse novo mínimo terá de enfrentar este ano.

Já em Portugal, onde o preço do arroz permanece estável nas prateleiras dos supermercados pelo menos nos últimos dois anos, em 2021 também não estão previstos reajustes nas tarifas dos transportes públicos, do gás canalizado, das tarifas de eletricidade e de pedágios e até mesmos nas telecomunicações, setor em que as operadoras já descartaram qualquer aumento para este ano.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!