“Se meu pai foi uma das vítimas daquele período, Sobel foi um dos heróis”, diz filho de Herzog

PUBLICADO NO FACEBOOK DO AUTOR

Henry Sobel foi a 1a pessoa, representando uma instituição, que denunciou o assassinato do meu pai, poucas horas depois do ocorrido.

Junto com dom Paulo Evaristo Arns e James Wright, corajosamente, promoveu e esteve presente no ato ecumênico em memória de meu pai na Catedral da Sé.

Quebrando protocolos do judaísmo, enfrentando resistência dentro da comunidade judaica, foi um dos protagonistas que abriram caminho para o fim da ditadura no Brasil.

Se meu pai foi uma das vítimas daquele período, Henry Sobel foi um dos grandes heróis.
Registro aqui minha homenagem e saudades desta pessoa que faz parte da minha vida.

Ivo Herzog

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!