Se passa a andar com o padrão Lava Jato, esse caso vai dar problema para o governo. Por Kennedy Alencar

Queiroz e o amigo Bolsonaro

Publicado originalmente no Blog do Kennedy:

POR KENNEDY ALENCAR

A retomada do caso Queiroz deve ter desdobramentos muito negativos para o presidente Jair Bolsonaro e o senador Flávio Bolsonaro. Fracassou a principal estratégia do presidente e de seu filho, que era anular a investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro a respeito das acusações de rachadinha no gabinete de Flávio na época em que foi deputado estadual.

Apesar do atraso, porque o presidente do STF, Dias Toffoli, deu uma mão ao suspender as investigações por cerca de 4 meses, houve um strike ontem com a operação do MP que atingiu vários ex-assessores de Flávio e o próprio Fabrício Queiroz.

O Ministério Público conseguiu retomar uma investigação que tem um potencial danoso enorme para o governo. Está evidente pelo que sabe da investigação que há possibilidade de prejuízo para o presidente e o filho senador. As versões de Flávio e Queiroz são frágeis. Uma filha de Queiroz trabalhou no gabinete do então deputado Jair Bolsonaro, que não é investigado pelo MP do Rio.

Todo o caso tem mostrado que não fica de pé a defesa de Flávio Bolsonaro. Mais: o presidente da República até hoje não respondeu como emprestou R$ 40 mil para Queiroz, se via cheque, DOC, TED ou dinheiro. Queiroz, operador antigo da família, depositou R$ 24 mil na conta da primeira-dama, Michele Bolsonaro.

Se passa a andar com o padrão Lava Jato, esse caso vai dar problema para o governo, Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!