Se você é gay e votou em Bolsonaro, convalidou a perseguição e o preconceito. Por Tiago Barbosa

A diversidade sexual e de gênero está excluída oficialmente do Estado no modelo definido pelo governo Bolsonaro.

A MP 870/2019, sobre a organização dos ministérios, chancela a discriminação do ilegítimo Michel Temer e bane qualquer referência a LGBTTs.

Não há menção nem mesmo nas atribuições do ministério dos direitos humanos, encarregado de atender grupos marginalizados pela sociedade.

Existe espaço para idoso, criança, mulher, deficiente – mas gay, trans, lésbica e outras identidades de gênero foram suprimidos.

Não se encaixam na definição bolsonariana retrógrada de família e devem se contentar, pela MP, ao enquadramento de “minorias sociais”.

A falta de representatividade rebaixa oficialmente os LGBTT à condição de subcidadãos e dá licença ao Estado para abandonar parte da população já afetada pelo preconceito.

O desamparo institucional é carta branca para a discriminação – afinal, se o Estado não protege, o que esperar da sociedade?

A lógica aplicada ao Brasil soa genocida.

O país é campeão de crimes provocados por LGBTfobia – recentemente, um cabeleireiro foi assassinado na principal avenida do estado mais importante do país por ser homossexual.

A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Pessoas Intersexo (ABGLTI) interpretou a medida como “nítida exclusão da população LGBTI”.

“Não há interesse em promoção da cidadania LGBTI, não haverá orçamento especifico sem área de gestão para conduzi-lo! Não há de se ter acordo com quem nos defenestra da política pública!”, diz a entidade, em nota no Facebook. (https://www.facebook.com/ABGLTnaLuta/photos/a.1433302160254195/2185060451745025/?type=3&theater)

Se você é gay e votou em Bolsonaro, saiba: convalidou a perseguição e o preconceito contra gays, lésbicas, travestis, bissexuais, transgêneros.

Se você tem amigos ou familiares LGBTT, pode dizer a eles o quanto não os considera seres humanos dignos de serem protegidos pelo Estado.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!