“Seis anos carregando essa cruz”: depoimento exclusivo do advogado que foi massacrado pelo rolo compressor da justiça de Aécio Neves

Dino Miraglia, hoje cuidando de seus cães, no clube que fundou e dirige

O texto abaixo é do criminalista Dino Miraglia, que teve a vida virada de ponta-cabeça depois que decidiu assumir a defesa do delator do mensalão mineiro e da Lista de Furnas, Nílton Monteiro. O apartamento dele em Belo Horizonte, onde funcionava o seu escritório, foi alvo de um mandado de busca e apreensão, em que foi usado até helicóptero.

Junto com a equipe de policiais, apareceu também uma equipe da TV Globo.

Depois da operação, Dino Miraglia teve que deixar a casa, a pedido da mulher e da filha, que, envergonhadas, pararam de falar com ele. Foi acusado de formação de quadrilha, falsificação e uso de documento falsos por um promotor ligado ao esquema de Aécio Neves no Estado.

Seis anos depois, o mesmo Ministério Público do Estado de Minas Gerais acaba de se manifestar na Justiça por sua completa absolvição. A seguir, o texto de Dino Miraglia, que hoje, além de tentar retomar a advocacia em sua plenitude, se dedica a um clube de lazer para a cachorros, em Minas Gerais. Em sua carreira no Direito, autor de um best seller, “Pau no réu”, Dino Miraglia se destacou no escritório fundado pelo famoso jurista Pedro Aleixo.

“QUANTO MAIS SABEMOS, NOSSO INIMIGO MENOS SABE.”

Me questionaram se não estou feliz com o entendimento do Ministério Público, que opinou por minha absolvição no processo em que me vi envolvido, na condição de advogado.

Lamentavelmente NÃO!

Esse procedimento foi uma farsa desde o início, comandado por um promotor de passado obscuro, que inclusive foi posteriormente afastado.

A materialidade do “crime” foi atestada por uma perícia em cópia reprográfica retirada de uma revista, de circulação nacional, em matéria assinada por jornalista, e realizada pelo Instituto de Criminalística de MG, que tem em seus quadros A ESPOSA DO DELEGADO QUE COMANDOU A INVASÃO DA MINHA CASA.

A invasão da casa e escritório de um advogado regularmente constituído nos autos do processo é uma aberração, ainda mais com o acompanhamento omisso da COMISSÃO DE PRERROGATIVAS DA OAB/MG.

A ordem, que jamais foi apresentada a mim, foi mostrada para a representante da entidade, conforme afirmado por ela mesmo, que garantiu estar tudo dentro da legalidade.

Houve um total desrespeito, por parte da polícia, à absurda ordem emanada por uma juíza irresponsável, que recebeu de bônus por isso tudo, a titularidade da vara do mensalão mineiro.

A ordem mencionava um único documento, caso fosse encontrado, e até as roupas intimas de minha ex-esposa e filha foram manuseadas e tocadas de forma ofensiva, e seus bens pessoais apreendidos em total desrespeito à dignidade humana.

A Busca e Apreensão foi anulada 48 horas depois, pela mesma Juíza, e que JAMAIS PUBLICOU tal decisão..

As audiências neste processo foram as mais absurdas em que já atuei na condição de advogado, onde a maioria das testemunhas do MP deveriam estar na condição de réus, sendo certo, que os réus foram as verdadeiras vítimas deste estado corrupto e arbitrário.

Seis anos de lenga-lenga e movimentos protelatórios por parte da acusação, que não tinha o que e nem porque acusar.

Agora, em alegações finais, o MP pede minha absolvição?

Nem sustentaram a acusação inicial?

Precisei perder seis anos da minha vida para ouvir quem me acusou, dizer que não tem provas contra mim?

NUNCA TIVERAM!

O Ministério Público de Minas Gerais patrocinou uma obra de ficção!

ESSE PROCESSO SEMPRE FOI UMA FARSA E A JUSTIÇA FOI USADA PARA SALVAR OS QUE HOJE ESTÃO NO OLHO DO FURACÃO.

Esse procedimento absurdo não poderia nem ter se iniciado por ausência de justa causa, a denúncia não poderia ter sido recebida, e termina como deveria: jogando a credibilidade da justiça no lixo.

Nunca fui bandido.

Tive minha casa invadida por delegados de polícia, que barbarizaram minha família, por estar atuando contra o crime institucionalizado em Minas Gerais.

Minha vida foi destruída.

A juíza anulou tudo 48 horas depois e jamais publicou essa maldita decisão.

Fui processado por ser advogado.

Fui processado por atuar como advogado.

Fui processado por ser diligente e não ter medo dessa estrutura corrupta.

Seis anos carregando essa cruz, sem ter dado motivos para isso.

Seis anos tachado de bandido por todos, principalmente pelos verdadeiros bandidos.

Perdi tudo.

Credibilidade, clientes, amigos, casa, família e tudo mais que eu tinha.

Me restou meus cães, meu choro, minha solidão e minha tristeza.

Nunca entendi como a OAB deixou isso tudo acontecer já que claramente as minhas prerrogativas foram violadas.

Fui meu próprio advogado.

E agora o dono da ação penal, o MINISTÉRIO PÚBLICO, pede minha absolvição.

Parabéns, DR DINO MIRAGLIA.

Sem nunca ter sido processado fui INDICIADO EM 44 PROCEDIMENTOS, EM 5 MESES, PELOS MESMOS DELEGADOS QUE INVADIRAM MINHA CASA, QUE SE TRANSFORMARAM EM 3 PROCESSOS, ONDE SOMENTE 2 TIVERAM DENÚNCIAS OFERTADAS, E HOJE POSSO GRITAR COM ORGULHO …

Sou RÉU PRIMÁRIO DE ÓTIMOS ANTECEDENTES E TENHO O MELHOR ADVOGADO QUE EU CONHEÇO.

EU!

Estou de volta e vou buscar meus direitos enquanto eu viver.

Essa banda podre da politica mineira ainda vai sentir o peso da JUSTIÇA!

DINO MIRAGLIA A FILHO

OAB/MG 86.468

.x.x.x.x.

Fotos de Dino Miraglia com os seres que nunca lhe deram as costas e mantiveram a lealdade, mesmo nos momentos mais difíceis:

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!