Sem a bênção de Lula, Haddad encosta em Ciro em pesquisa. Imagine depois dela. Por Kiko Nogueira

Haddad e Gleisi: na inércia, ele encosta em Ciro. Foto: Joka Madruga / Eduardo Matysiak

 

A pesquisa DataPoder360, divulgada nesta terça, dia 5, não traz apenas a consumação da tragédia nacional da liderança de Bolsonaro sem Lula na disputa.

Ciro Gomes aparece em segundo, com 11% e 12% nos três cenários, o coroamento de uma campanha intensa de mais de um ano.

Marina Silva patina com Alckmin com 6% e 7%.

João Doria, que almeja o posto do ex-mentor na corrida, micou com os mesmos 6%, tirando a esperança do PSDB de ter um candidato competitivo (donde a tentativa de FHC de emplacar uma aliança com Marina).

Mas a grande novidade é Fernando Haddad.

Discreto, negando que seja o plano B de Lula, ele surge empatado com Marina e Alckmin e encostado em Ciro.

Isso sem que Lula tenha indicado um substituto e sem que grande parte dos brasileiros tenha ideia de quem ele seja. 

É o nome menos conhecido da lista e foi escolhido pelo instituto pesquisador com base num “teste”.

Na inércia, Haddad consegue praticamente o mesmo que Ciro, sendo que o pedetista vem batalhando há muito mais tempo.

A ideia de uma chapa Ciro-Haddad é, ao que tudo indica, uma quimera.

Ciro tem razão quando chama o PT de “hegemonista”.

Se tiver a bênção lulista, Haddad pode deixar Ciro Gomes na incômoda posição de ser cobrado pelo apoio ao ex-prefeito de São Paulo como alternativa contra a barbárie.

Talvez seja o caso de Jair se acostumando.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!