Sem provas, a condenação de Lula seria baseada apenas no cinismo. Por Luis Felipe Miguel

Eles

Publicado no Facebook de Luis Felipe Miguel, professor da UnB.

A bola está com Sérgio Moro.

A defesa de Lula apresentou hoje suas alegações finais no caso do triplex. Dallagnol já havia apresentado suas convicções antes.

A ausência de materialidade da denúncia é patente desde o começo. Isso não mudou.

O que mudou foi a posição da acusação – termo que, no caso, vejam só, inclui não só o promotor, mas também o juiz.

Desde o embate de Curitiba, quando Lula foi interrogado, a imagem pública tanto de Moro quanto de Dallagnol sofreu acelerada deterioração.

Mesmo para seus mais entusiásticos seguidores está difícil sustentar o discurso de que há imparcialidade, ética ou competência profissional.

O que há, claramente, é apenas a vontade apaixonada – ou interessada, ou ambos – de atingir o ex-presidente.

Sem provas, sem uma narrativa convincente e, agora, sem sequer uma fachada de força moral para sustentá-la, a condenação de Lula seria baseada apenas no cinismo.

Meu palpite: Moro vai condená-lo, agora com mais ímpeto ainda, já que não tem mais nada a perder.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!