SP deve ter mil mortes pela Covid por semana às vésperas do Natal

Tragédia da covid-19 nas festas de natal e ano novo pode trazer de volta cenas de enterros coletivos como no pico da pandemia. Foto: Chico Batata/Reprodução/RBA

Publicado originalmente no site Rede Brasil Atual (RBA)

POR RODRIGO GOMES

O estado de São Paulo deve voltar a registrar mil mortes pela covid-19 em uma semana às vésperas do Natal. Dados do Sistema de Monitoramento Inteligente (Simi) do governo de João Doria (PSDB) mostram que dezembro já tem a pior média diária de mortes dos últimos dois meses, com 153 óbitos por dia. Até ontem (17), foram registrados 759 óbitos decorrentes da covid-19 nesta semana, número que deve chegar a aproximadamente 1.060 até sábado, quando os dados serão fechados – e Doria deve divulgá-los na segunda (21). Na semana anterior, de 6 a 12 de dezembro, ocorreram 976 mortes. A última vez que o estado de São Paulo passou de mil mortes foi na semana de 4 a 10 de outubro.

Ainda segundo os dados do Simi, o estado de São Paulo teve um aumento de 33% nas mortes por covid-19 em dois meses, passando de 733 óbitos, na semana de 18 a 24 de outubro, para 976, na semana de 6 a 12 de dezembro. No total, o mês de outubro teve 3.676 mortes, com média diária de 118. Novembro teve 2.794 mortes, com média diária de 93. E dezembro já tem 2.610 mortes, com média diária de 153. Seguindo essa tendência, o mês deve fechar com aproximadamente 4.740 mortes causadas pela covid-19 logo após Natal e Ano Novo. Situação que deve se agravar ainda mais em janeiro.

Pelos dados do Simi, a ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) no estado de São Paulo chegou a 61,6% ontem (17), a maior desde 1º de agosto, quando ficou em 61,7%. No entanto, naquele momento havia mais leitos disponíveis. Já o número de pacientes internados é o maior desde 11 de setembro, quando a média diária era de 4.769. Ontem, este índice chegou a 4.745 pacientes internados em UTI por dia. Contando os pacientes de enfermaria, São Paulo tem 11.276 pessoas internadas com covid-19. Apesar disso, Doria resiste a aplicar restrições mais rígidas à quarentena e avançar regiões às fases laranja e vermelha do Plano São Paulo.

Todo o estado foi colocado na fase amarela do Plano São Paulo em 30 de novembro. Nesta semana, Doria anunciou mais 2 mil novos leitos de UTI para pacientes com covid-19. Mas nenhuma nova medida para evitar a proliferação da doença deve ser anunciada até 4 de janeiro, permitindo que as festas de Natal e Ano Novo transcorram quase que normalmente em meio ao agravamento da pandemia.

Covid-19 na capital paulista

A situação das mortes pela covid-19 não é diferente na capital paulista. A cidade teve 247 mortes na semana de 6 a 12 de dezembro, o maior número desde a semana de 21 a 27 de agosto, quando ocorreram 257 óbitos. A trajetória de aumento chegou a 166% nas últimas oito semanas, passando de 93 para 247 mortes. Apesar disso, o governo do prefeito Bruno Covas (PSDB) também não aplicou nenhuma nova medida mais rígida em relação à quarentena no município.

Próximo às festas natalinas, a capital tem 68,3% das UTIs voltadas para pacientes de covid-19 ocupadas, de acordo com dados do Simi, que considera leitos municipais, estaduais, filantrópicos e privados. É a maior ocupação desde 28 de junho, quando a taxa ficou em 68,6%. Naquele momento, no entanto, havia mais leitos de UTI para covid-19 na cidade. A média diária de pacientes em unidades de terapia intensiva na cidade ficou em 1.965 ontem (17), o maior índice desde 23 de agosto. Os hospitais privados já superam 90% de ocupação de UTIs na cidade.

Natal com covid-19 em outras regiões

A região da Baixada Santista chega ao final do ano com a maior média diária de pacientes internados com covid-19 desde julho. Segundo dados do Simi, até ontem (17), a média ficou 227 internados em UTI por dia, com taxa de ocupação de UTI de 55,35. Situação que não ocorria desde 17 de julho, quando havia 230 internados em UTI por dia, em média, com taxa de ocupação de 48,2%. A média diária de novos casos está em 323.

O ABC paulista também chega às vésperas do Natal com piora nos dados relativos à covid-19. A taxa de ocupação de UTI é a maior em seis meses: 66,2, ontem, ante 66,8% em 8 de junho. São 504 pessoas internadas por dia, em média. Considerando toda a Grande São Paulo, o número de mortes por covid-19 cresceu 11% na última semana e a média de novos casos é de 2.540 por dia.

Na região de Campinas, a ocupação de UTIs está em 66,3%, a maior desde 19 de agosto. O número de mortes cresceu 23,4% apenas na última semana. A média diária de novos casos está em 895. Na região de Sorocaba, a ocupação de leitos de UTI chegou a 68,8% ontem. Maior percentual desde julho. A região teve crescimento de 21% nas mortes na última semana.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!