STF suspende portaria que proíbe demissão de não vacinados de Bolsonaro

Atualizado em 12 de novembro de 2021 às 16:53
veja Barroso e Bolsonaro
LUÍS ROBERTO BARROSO E JAIR BOLSONARO. FOTOS: ROBERTO JAYME/TSE E AFP

Ministro Luís Roberto Barroso, do STF, decidiu, nesta sexta (12), suspender trechos da portaria do Ministério do Trabalho e Previdência que determinava que empresas não poderiam exigir comprovantes de vacinação contra a Covid-19 dos funcionários. Governo Bolsonaro queria manter o emprego de não vacinados.

LEIA MAIS:

1 – Exclusivo: Lava Jato combinou estratégia de “armar trincheira com prisão de Palocci” contra Lula

2 – Exclusivo: a quatro dias do 2º turno, Dallagnol citou Moro em chat e pediu pressa: “não temos muito tempo” 

3 – Exclusivo: Em mensagens, Dallagnol combinou com procuradores como pressionar juízes e promotores

O que queria o Bolsonaro com os não vacinados?

O ministro Onyx Lorenzoni editou uma portaria, acredite se quiser, para impedir a demissão de não-vacinado. É o governo Bolsonaro novamente apostando no negacionismo.

O ministro ainda fez uma postagem inacreditável no Twitter da Secom.

Escreveu o seguinte:

“Governo do Brasil edita portaria CONTRA DEMISSÕES DE TRABALHADORES QUE OPTEM POR NÃO SE VACINAR CONTRA A COVID. A exigência de comprovante de vacina de trabalhadores é INCONSTITUCIONAL — e, também, não faz sentido, pois os brasileiros aderiram à vacinação em massa”.

É mais um atentado contra o passaporte da vacina e a ciência.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link