Substituto do Minha Casa Minha Vida tem tudo para se tornar grande negociata. Por Fernando Brito

Residências do Minha Casa Minha Vida (Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil)

Publicado originalmente pelo Tijolaço:

POR FERNANDO BRITO

Tem tudo para ser um disparate – ou uma negociata daquelas – o projeto pelo qual o “setor privado poderá fazer shopping em terreno do governo em troca de casa popular“, anunciado pela Folha para substituir o quase falecido “Minha Casa, Minha Vida”.

A ideia, gestada no Ministério da Economia, seria oferecer moradias de baixo custo em regiões centrais de médias e grandes cidades, oferecendo terrenos ociosos da União a empresas para que construíssem habitações populares e também shoppings, pontos comerciais e imóveis de mais alto padrão.

Ora, um terreno vazio numa região centrais das cidades brasileiras é : 1) de alto valor e 2) quase sempre de dimensões limitadas.

Portanto, necessariamente terão baixo número de unidades – a sua verticalização é limitada, pelo custo de manutenção que isso traz – e menor ainda se parte disso for destinada a shoppings.

Até o presidente da Câmara Brasileira de Construção Civil, José Carlos Martins, diz que situações pontuais não podem ser confundidas com um programa habitacional como este país de submoradias exige.

Mas, claro, tem o “filé”. Um shopping nas áreas centrais vale os tubos, e não vão se passar seis meses para as construtoras oferecerem, em compensação, casinhas lá nos cafundós.

O “Minha Casa”, na maior parte das vezes, era erguido em terrenos cedidos pelo poder público -União, Estados e Municípios – e, mesmo com muitas deficiências urbanísticas, só saía a fórceps, com fortes subsídios bancados pelo Tesouro e pelo FGTS.

O motivo? É preciso dar casa a quem não tem condição de tê-las pela “lógica de mercado”.

Esperar que o mercado faça política habitacional para a população de baixa renda é melhor que seja sentado.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!