Ted, o nosso ursinho interior

Assisti Ted e saí do cinema com lágrimas nos olhos. De tanto rir. E percebi aos poucos o quanto esse filme é profundo e universal.

Ted foi criado por Seth MacFarlane (do desenho animado Family Guy). A história em resumo: 30 anos atrás, John, um menino desajustado ganha dos pais um ursão de pelúcia, que é batizado de Ted. Por magia, Ted passa a falar e ter vida própria, jurando que vai ser amigo de John para sempre.

Corta para o presente. John (Mark Wahlberg, excelente) virou um homem de 35 anos que passa seus dias fumando toneladas de maconha com Ted. Eles conversam horas sobre abobrinhas como o valor artístico de filmes thrash como Flash Gordon. John tem uma linda e divertida namorada (Mila Kunis) a quem enrola há 4 anos. Ele prefere a companhia de Ted, que virou um cafajeste bebaço e mulherengo, aprisionado em seu corpo de ursinho de pelúcia.

É um filme sobre amadurecimento. Ted simboliza o “lado criança” que todos os homens – normais – carregam pelo resto da vida. Somos doutrinados a ter vergonha dessa infantilidade. Vivemos sendo treinados em terapias e DRs a extirpar nosso “ursinho” como um tumor maligno. E no entanto, insistimos. Colecionamos carrinhos, lemos histórias em quadrinhos, sonhamos em ser popstars, nos apegamos a séries de TV que nos fizeram felizes na infância. Temos medo de relacionamentos sérios como John tem medo de trovões. Procuramos amiguinhos que nos protejam das ameaças do mundo.

Com o tempo, amadurecemos. E isso é muito bom. Mas com o amadurecimento podemos virar também homens adultos profundamente infelizes, amargos, saudosos de nossos Rosebuds como o cidadão Kane em seu leito de morte.

Não vou contar o final de Ted. Mas uma das melhores coisas que eu vi nesse filme foi o fato de colocar nossa infantilidade masculina como algo a ser administrada, e não destruída. Pois é esse “ursinho interior” que nos faz rir de nós mesmos. E, dessa forma torta, nos faz amadurecer.


Dagomir Marquezi é escritor, roteirista e jornalista e atende no endereço http://dagomir.blogspot.com.br/

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!