Temer quer chefe de Imprensa em SP na vaga que estava destinada ao marido de Vera Magalhães

O ex-prefeito Bruno Covas, que morreu neste domingo, 16, e Michel Temer Foto: Reprodução/Twitter

Antes da montagem do primeiro escalão, Michel Temer tem planos para o governo de Ricardo Nunes, afilhado político que começa nesta segunda, 17, seu mandato efetivo como prefeito de São Paulo após a morte de Bruno Covas.

O ex-presidente quer mexer no comando da Comunicação da prefeitura.

Com isso, vai acabar jogando água no chope de Otávio Cabral, marido da jornalista Vera Guimarães que, aliás, já presta serviços ao governo de São Paulo como apresentadora do Roda Viva na TV Cultura.

Cabral estava sendo cotado para comandar o setor de Imprensa do prefeito Bruno Covas, indicado por Felipe Soutello, influente marqueteiro ligado aos tucanos.

Dono da agência de comunicação Caravelas, entre outras passagens polêmicas, chefiou a campanha de João Amoedo (Novo) na eleição de 2018.

Seu azar é não ser o preferido do golpista.

Para cuidar do setor de Imprensa de Nunes, Temer quer Márcio de Freitas, hoje instalado na FSB Comunicações.

Freitas é parceiro de Elsinho Mouco, velho marqueteiro de Temer que se tornou conhecido quando teve exposta uma história que para qualquer profissional da área seria uma humilhação: a logomarca do governo golpista apresentada pelo marqueteiro, considerada uma das piores peças publicitárias já vistas no país, foi escolhida por Michelzinho, então com 7 anos e filho do ex-presidente.

Nova logo
Essa reedição do Ameo-o ou deixe-o criada por Elsinho Mouco foi escolhida por Michelzinho, então com 7 anos e filho do golpista

Experiente articulador político, Temer sabe que a Comunicação é setor vital num governo.

Por esse motivo quer seu subordinado desde os tempos em que exercia a vice-presidência de Dilma, até nomeá-lo secretário especial da Secretaria Especial de Comunicação Social da Casa Civil da Presidência da República, com bônus salarial como membro do Conselho de Administração da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), na prefeitura de SP.

Antes de cair na FSB Comunicações, o preferido de Temer foi contratado como chefe de Imprensa de Witzel. O desafio na época era repetir com o governador cassado do Rio os passos de Temer e um dia chegar ao Palácio do Planalto.

Ricardo Nunes que abra o olho.

Márcio de Freitas, atualmente consultor sênior da FSB Comunicações e preferido de Temer para comandar o setor de Imprensa do governo de Ricardo Nunes em SP

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!