Trump avisa que vai mandar o sub do sub à posse de Bolsonaro

Atualizado em 18 de dezembro de 2018 às 0:08
O novo chanceler Ernesto Araújo e seu deus Donald Trump

Talvez nenhum governo brasileiro tenha nascido com o nariz enfiado no traseiro de uma potência como o de Jair Bolsonaro.

Bolsonaro imita Donald Trump na hiperatividade no Twitter, seu filho passeio nos EUA com boné promovendo a reeleição do americano, o chanceler Ernesto Araújo comete um artigo dizendo que o sujeito de cabelo cor de laranja, um bronco rico, “parece ter hoje uma visão de mundo que ultrapassa em muitas léguas, em profundidade e extensão, as visões da elite hiperintelectualizada e politizada que o despreza”, entre outras imbecilidades pomposas “antiglobalistas”.

E o que faz o velho Donald, em retribuição?

Avisa que não virá para a posse presidencial em 1º de janeiro de 2019.

A equipe de transição dizia que ele estava “avaliando o convite”. A imprensa chapa branca, como a Gazeta do Povo, deu.

Bullshit.

Trump vai mandar o sub do sub.

A Casa Branca anunciou no início da noite de segunda que a comitiva será chefiado por Mike Pompeo, secretário de Estado.

Com ele virão Mark Green, administrador da agência para desenvolvimento internacional, William Popp, embaixador interino em Brasília e Mauricio Claver-Carone, diretor de assuntos do hemisfério ocidental do Conselho Nacional de Segurança americano.

Ah, não, mas o importante é que Maduro não foi convidado. Nem o cara lá de Cuba. Talkei?

Então tá.

O comunicado da Casa Branca sobre a posse de Bolsonaro