TSE não teve coragem de cassar Bolsonaro por medo de conflito

Veja Bolsonaro e Barroso
O presidente Jair Bolsonaro voltou atacar o ministro Luís Roberto Barroso
(foto: Agência Brasil/Reprodução)

De acordo com uma fonte consultada pelo DCM, um ministro do TSE disse que existiam provas para a cassação da chapa Bolsonaro-Mourão. No entanto, um motivo levou a Corte recuar nessa decisão.

LEIA MAIS:

1 – Ministro da Justiça de Bolsonaro foi chefe de gabinete de Francischini, cassado por fake news

2 – Nova pesquisa Futura/Modalmais mostra desidratação de Ciro. Por Miguel do Rosário

3 – DCM Ao Meio-Dia: Maurício posta foto de Super Homem “hétero”; direto de Londres, o caso Assange

TSE não teve coragem

Para essa fonte, cassar a chapa resultaria em um grande conflito.

A situação se agrava com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) há um ano da eleição

“O Bolsonaro não iria aceitar e seria uma nova crise, com risco de tentativa de ruptura”, diz esse ministro, segundo a fonte consultada pelo DCM

Os ministros, acredite se quiser, acham que Bolsonaro vai perder as eleições. Apostam nisso.

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.

O que é o TSE?

Tribunal Superior Eleitoral é a instância jurídica máxima da Justiça Eleitoral brasileira, tendo jurisdição nacional.

Demais instâncias são representadas nos momentos de eleição pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TRE), juízes eleitorais e juntas eleitorais espalhados pelo Brasil. O TSE exerce ação conjunta com os TREs, que são os responsáveis diretos pela administração do processo eleitoral nos estados e nos municípios.

A existência e a regulamentação dele está determinada nos artigos 118 a 121 da Constituição Federal de 1988, que estabelece ser de competência privativa da União legislar sobre Direito Eleitoral e, ainda, que: “Art. 121. Lei complementar disporá sobre a organização e competência dos tribunais, dos juízes de direito e das juntas eleitorais”. Como tal lei complementar ainda não foi instituída, as principais leis que regem o Direito Eleitoral são: o Código Eleitoral de 1965; a Lei 9.504, de 1997; a Lei dos Partidos Políticos, de 1995; a Lei 12.034 de 2009; e as periódicas resoluções normativas do TSE, que regulam as eleições com força de lei.