Um país que baba ovo para o Jornal Nacional merece cada novo Bolsonaro que a Globo gera

Kramer e Renata Vasconcellos no JN

O velho clichê diz que “aqueles que não podem lembrar o passado estão condenados a repeti-lo”.

É uma frase piegas como o editorial desta noite do Jornal Nacional lido pela dupla Renata Vasconcellos e William Bonner.

A sessão de autocongratulação foi recebida por muita gente boa com êxtase e furor.

Os dois apresentadores abriram a edição lamentando as mais de 50 mil mortes de coronavírus.

Justo.

Em seguida, Bonner falou das omissões do governo, da “minoria barulhenta” que não quer o tom de tragédia no noticiário e teceu loas ao “jornalismo profissional” praticado pela casa.

“A história vai registrar também aqueles que se omitiram, que foram negligentes, que foram desrespeitosos. A história atribui glória e atribui desonra. E história fica para sempre”, afirmou Bonner.

A história fica, de fato, para sempre.

Por isso é impossível não lembrar que o JN é diretamente responsável pelo clima de ódio que se instaurou no país e desaguou em Jair Bolsonaro.

Em nome de se livrar do PT, todos os recursos jornalísticos que porventura estejam sendo bem empregados hoje foram dirigidos para promover, por exemplo, a Lava Jato.

Vazamentos repassados pela República de Curitiba foram divulgados de maneira acrítica porque se tratava de destruir o lulismo.

Miriam Leitão, Moro e Vladimir Netto: tudo em família

Um dos principais repórteres do JN, Vladimir Netto, filho de Míriam Leitão, é autor de livro sobre Sergio Moro e seus apaniguados.

Toda a turma de Dallagnol estava no lançamento em Curitiba. Ele e a mãe emocionados na livraria com os “heróis”.

Moro é, hoje, chamado para comentar escândalos de um governo do qual foi funcionário por um ano e meio.

Queiroz e os Bolsonaros estão na ativa há décadas, barbarizando nas barbas da Globo no Rio de Janeiro.

Nada foi apurado durante a campanha em nome da mono obsessão antipetista. O “Fora Haddad” estava decidido.

Falta uma autocrítica, que não virá jamais.

Agora os Marinhos resolveram rifar Bolsonaro, enquanto poupa Paulo Guedes. E aplaudimos.

O regozijo com o show de Bonner e Renata é revelador do nosso caráter — e do nosso desespero.

O Brasil que baba ovo para o Jornal Nacional merece cada novo Bolsonaro que a Globo ajuda a gerar.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!