Uruguaios surpreendem e resultado terá de esperar “votos observados”. Por Fernando Brito

Luis Lacalle Pou (E) e Daniel Martínez (D), candidatos a presidente do Uruguai — Foto: Eitan Abramovich, Pablo Porciuncula/AFP

Publicado originalmente no Tijolaço

Por Fernando Brito

28.666 votos, pouco mais de 1% dos 2.307.372 votos já considerados válidos.

Bem menos que os 35.299 votos que estão em separado, por alguma inconsistência nas atas de votação ou diferenças entre os inscritos e os sufrágios.

O resultado final, que se previa uma maioria folgada para o candidato da direita, Luís Lacalle Pou, deixa-o dependente da lenta contagem e conferência das urnas postas em separado.

Dificilmente, claro, Lacalle deixará de ter a vitória numérica.

Mas já deixou de ter a vitória política, a da força eleitoral suficiente para fazer um governo ultraconservador.

Montevideu, que concentra quase 50% do eleitorado do país deu uma vitória folgada a Daniel Martinez, da Frente Ampla: 54,8% a 41,3%.

Alguém aí falou em polarização?

Veja também: DCM Café da Manhã: A direita sem vergonha ameaça também o Uruguai.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!