Vale foi escolhida a pior empresa do mundo

Fabio Schvartsman, presidente da Vale

O “Public Eye Awards”, conhecido como “Oscar da vergonha corporativa”, elegia as piores empresas do mundo.

A Vale, uma das maiores produtoras de minérios de ferro do planeta, foi “agraciada” com o primeiro lugar em 2012. Antes, portanto, de Mariana e Brumadinho.

A votação era organizada, desde 2000, pelo Greenpeace e a ONG Declaração de Berna. A última edição foi em 2015.

Entre as seis companhias indicadas, a mineradora obteve o maior número de votos dos internautas: 25.042.

Em resposta, lançou um site especial, com versões em português e inglês, em que respondia pontualmente a cada uma das críticas feitas pela organização do troféu. A página saiu do ar.

“A Vale sabe que a atividade mineradora gera impactos e, por isso, atua de forma a controlá-los e reduzi-los.(…) Além das obrigações legais e gestão dos impactos de suas operações e projetos, a Vale contribui voluntariamente e investe na conservação de ecossistemas naturais e boas práticas em desenvolvimento sustentável”, dizia o texto.

Os prêmios eram entregues na mesma semana em que os executivos das maiores companhias do mundo se reúnem na estação alpina de Davos, na Suíça, para o Fórum Econômico Mundial.

A indicação da Vale para o prêmio foi feita pela Articulação Internacional dos Atingidos pela Vale (International Network of People Affected by Vale), por meio da organização brasileira Rede Justiça nos Trilhos, sediada no Maranhão, em parceria com as ONGs internacionais Amazon Watch e International Rivers.

A justificativa: “inúmeros impactos ambientais, sociais e trabalhistas causados na última década pelas atividades da corporação no Brasil e no mundo”.

As maiores reclamações:

  • Violações dos direitos humanos,
  • Pilhagem de patrimônio publico,
  • Condições extremas de trabalho, chegando a ser desumanas,
  • Uso exploratório de recursos naturais,
  • Deslocamento forçado dos moradores de Moçambique,
  • No caso da Nova Caledônia a Vale causou danos ambientais aos povos indígenas,
  • Graves problemas para a saúde,
  • Acusada de despejar 114 milhões de litros de efluentes nos oceanos,
  • Mais de 150 investigações de crimes,
  • A Vale é sozinha responsável por 4% de todo o gás carbônico que é emitido pelo Brasil.
Protesto contra a Vale em BH

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!