Vamos investigar o papel de Alckmin e da Sabesp na crise da água. E contamos com você

São Paulo vive a maior crise de falta de água em sua história recente. O Sistema Cantareira, que abastece a capital, opera com cada vez menos capacidade. A situação é alarmante.

Em 2015, especialistas dizem que a água será escassa em níveis inéditos. Enquanto isso, o governador Geraldo Alckmin se recusa a admitir qualquer problema.

Como chegamos a esse ponto?

Há uma empresa responsável por cuidar disso: a Sabesp.

Conhecida no passado como cabide de emprego, numa época em que ainda não tinha ações em bolsa, a Sabesp reina absoluta num mercado sem concorrência.

Em 2013, teve um lucro de 1,9 bilhão de reais, o que proporcionou uma grande distribuição de dividendos aos acionistas.

A Câmara Municipal instalou uma CPI para apurar os contrato da Sabesp e descobriu que há, sim, base legal para rescindi-lo e promover alterações que aumentem a eficiência da empresa.

A Sabesp está falhando na gestão da crise hídrica, conforme indica gravação de uma reunião na empresa, da qual participou a presidente, Dilma Pena. Ela aparece dizendo que recebeu “orientação superior” para não informar a população da gravidade da situação do Cantareira.

Qual o papel da companhia na crise? E o de Geraldo Alckmin?

O que está por trás do lucro gigantesco? Por que os paulistas não foram avisados da seca? Por que jornais e revistas permaneceram em silêncio?

Quem ganha com isso?

O DCM quer investigar essa história. Vamos contar como a companhia está reagindo diante desse desafio e por que a demora em tomar uma atitude. Vamos apurar as denúncias de desvios de dinheiro e contar em detalhes como opera a pressão política por trás disso.

Não temos os recursos das grandes empresas de mídia. Mas temos a independência editorial e a credibilidade jornalística que elas não têm.

Mais que tudo: temos um leitor que acredita em nós. Que confia em nós. Que sabe que nosso único compromisso é com um Brasil “escandinavo”, mais justo.

Estamos recolhendo os fundos necessários para a investigação no site Catarse. O jornalista que vai comandar os trabalhos é um dos mais competentes — e independentes —  repórteres investigativos do Brasil, Joaquim Carvalho, autor do “Helicoca”.

Contamos com você.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!