Veja 17 fake news comprovadas que Joice Hasselmann já espalhou. Por Vinícius Segalla

Joice Hasselmann e Jair Bolsonaro, juntos como talvez nunca mais se veja (Foto: reprodução)

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) apresentou, na CPMI das Fake News, indícios e provas de que vem sofrendo calúnias e ataques digitais coordenados por uma rede de fake news e difamação comandada por grupos ligados ao governo federal, especificamente, segundo ela, pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

O que a parlamentar e ex-jornalista não mostrou são as suas próprias mentiras e fake news. Conforme se evidencia pela lista de mentiras comprovadas que já publicou a parlamentar, a verdade é que Joice Hasselmann já compôs e alimentou a mesma rede propagadora de fake news de que agora se diz vítima.

Também como se pode notar por meio da lista abaixo, a deputada intensificou seu expediente de propagar mentiras contra seus adversários políticos, ainda no tempo que atuava apenas como jornalista, em dois momentos específicos: (i) nos meses que antecederam à votação de abertura do processo de impeachment contra a então presidenta, Dilma Rousseff, em 2016, e nos meses que antecederam e durante as Eleições de 2018.

Da mesma maneira, pode-se constatar abaixo que as mentiras propagadas por Joice são exatamente os tipos de fake news que a CPMI tenta combater, ou seja, aquelas que acabam por se espalhar na escala dos milhões, sempre acusando falsamente um mesmo grupo político de cometer crimes e má condutas, sempre recebendo uso eleitoral e sendo disseminada por uma mesma rede especializada em multiplicar o alcance de informações inverídicas.


MENTIRA 1: Filha de Nassif recebeu dinheiro do PT para protestar contra Moro

No dia 7 de fevereiro de 2017, Joice Hasselmann divulgou em sua página no Facebook que Luiza de Aguirre Nassif, filha do jornalista Luis Nassif, estaria na cidade de Nova York, Estados Unidos, na Universidade de Columbia, liderando uma manifestação contra o então juiz Sergio Moro, por ocasião de palestra do magistrado no local, no dia 6 do mesmo mês. Disse que Luiza estava lá protestando contra Moro porque recebia dinheiro do PT.

A PROVA QUE É MENTIRA: A própria Joice Hasselmann admitiu que não era verdade, quando passou a ser processada pela vítima. Alegou ter se enganado e tirou o post do ar. Isso não impediu que ela fosse processada e condenada por danos morais (processo 1020046-91.2017.8.26.0100, da 1ª Câmara de Direito Privado de São Paulo).

Trechos da sentença:

Na hipótese vertente, a notícia publicada pela autora é equivocada, conforme expressamente reconhecido na contestação, uma vez que a autora não estava presente e não liderava a manifestação realizada contra o juiz Sérgio Moro em Nova York. Outrossim, a fotografia publicada que seria da autora é, na verdade, de outra pessoa. (…)
A situação descrita revela que a ré noticiou fato inverídico em rede social, porquanto atribuiu à autora a participação e a liderança do referido evento, além de sugerir a existência de relação entre a conduta descrita e o suposto recebimento de verba do “Governo Petista” por seu pai. (…)

O fato de ser conhecida jornalista aumenta a potencialidade lesiva e a repercussão negativa da notícia em relação à honra e à imagem da autora, sendo insuficiente, para afastar o reconhecimento da existência do dano moral sofrido, a retirada da notícia no dia seguinte, bem como a publicação de resposta subscrita pelo pai da requerente.

 

MENTIRA 2: Revista recebeu R$ 600 milhões para atacar Bolsonaro

Em setembro de 2018, Hasselmann gravou um vídeo em seu canal no YouTube dizendo que uma grande revista semanal (Veja) teria recebido R$ 600 milhões — sim, mais de meio bilhão — para destruir a reputação de Bolsonaro na reta final do primeiro turno das eleições.

A PROVA QUE É MENTIRA: Além de a deputada jamais ter apresentado qualquer prova sobre o que afirmou, o próprio descabimento da cifra deixa evidente se tratar de uma mentira. A quantia é imensamente superior ao próprio valor de mercado da revista Veja. No mesmo ano de 2018, a revista norte-americana Time, uma das maiores do mundo, foi vendida por valor semelhante ao que a deputada afirma ter sido pago como propina a Veja.


MENTIRA 3: Hacker revela que vai fraudar urnas para ajudar o PT

Às vésperas do primeiro turno da eleição do ano passado, Joice gravou um vídeo dizendo que ficou sabendo por uma fonte que um suposto hacker, que teria operado em três eleições anteriores, estava pronto para agir novamente e invadir o sistema de urnas eletrônicas do Brasil, para fraudar os votos e garantir a vitória presidencial do candidato do PT.

Catapultada por outros formadores de opinião bolsonaristas, inclusive os filhos de Bolsonaro e o próprio Jair, a mentira atingiu cerca 16,5 milhões de pessoas nas redes sociais nas 48 horas após as eleições. Às 11h do dia 7 de outubro, a hashtag #FraudeNasUrnas alcançou o topo dos trending topics do Twitter.

A ex-jornalista foi a principal responsável por espalhar uma das maiores mentiras do primeiro turno- a fraude nas urnas, -segundo um relatório elaborado por pesquisadores e analistas de dados da Avaaz, uma comunidade de mobilização online com atuação mundial. Avaliando cerca de 10 mil postagens no Facebook, no Twitter e no YouTube, os pesquisadores descobriram que ex-jornalista foi um dos pontos de partida da história que visava desacreditar o processo eleitoral no Brasil.

A PROVA QUE É MENTIRA: Jair Bolsonaro venceu as eleições, e Joice jamais apresentou qualquer resquício de prova sobre o que afirmou.


MENTIRA 4: Urnas ajudam Haddad e induzem eleitores a votar no PT

No dia da eleição, a ex-jornalista publicou em suas redes sociais um vídeo em que um eleitor digitava o número 1 na urna de votação, e logo aparecia a foto de Fernando Haddad, do PT, na urna eletrônica. Afirmava que o vídeo seria a prova de mais uma fraude no sistema eletrônico de votação do Brasil, em favor do PT. A fonte da informação espalhada pela ex-jornalista foi uma conta de Twitter com nome falso, chamada “Robô do Nordeste – Moro herói”.

A PROVA QUE É MENTIRA: A postagem, que atingiu 3,9 milhões de visualizações em seu Facebook, foi contestada pelo próprio Tribunal Superior Eleitoral, que já provou a falsidade do vídeo, mostrando que ele não foi gravado em uma urna oficial das eleições. Ainda assim, Hasselmann manteve o conteúdo vários dias no ar, antes de exclui-lo. Até agora, aliás, não postou uma correção sobre a mentira que disseminou.


MENTIRA 5: Irã, Venezuela e Hezbollah vão interferir na eleição para ajudar o PT

No dia 20 de outubro do ano passado, a deputada publicou vídeo afirmando que estava havendo uma interferência criminosa do Irã, da Venezuela e do Hezbollah nas eleições brasileiras. Disse que a fonte de sua informação era uma deputada norte-americana, mas não apresentou nenhuma prova. Só no Facebook, a publicação teve mais de 2,5 milhões de visualizações e foi compartilhada por pelo menos 2.388 páginas e grupos. No YouTube, o vídeo teve mais de 1,8 milhões de visualizações. No dia seguinte após publicar o vídeo com a mentira, a deputada alcançou 1 milhão de inscritos em seu canal.

A PROVA QUE É MENTIRA: Além dos países citados negarem qualquer intervenção, o TSE, o Ministério Público Eleitoral e o Ministério das Relações Exteriores do Brasil afirmaram jamais ter ouvido falar de qualquer coisa semelhante, chamando o vídeo de Joice de “barbaridade”.


MENTIRA 6: Obra “Decálogo de Lênin” é usada pelo PT para tomar o poder

Em abril de 2016, Joice gravou vídeo afirmando que o PT fazia uso de um documento chamado “Decálogo de Lênin”, que seria composto por 10 mandamentos de autoria do revolucionário russo e que seria utilizado pelo PT como uma espécie de manual para se perpetuar no poder. O texto que a ex-jornalista atribui ao revolucionário russo é de autoria desconhecida.

A PROVA QUE É MENTIRA: Como é de conhecimento de qualquer pessoa versada em História do Século 20, Lênin jamais escreveu qualquer obra ou artigo com esse nome ou dessa natureza. Até hoje, não se sabe de onde Joice tirou o tal decálogo, por que ela decidiu dizer que era obra de Lênin nem o motivo que a levou a afirmar que aquilo era utilizado de alguma maneira pelo PT.

MENTIRA 7: Gang de médicos dirá que câncer de Lula voltou para ele não ser preso

Em janeiro de 2017, Hasselmann publicou vídeo afirmando que existia um complô formado entre médicos de um grande hospital de São Paulo junto com o Partido dos Trabalhadores para a produção de um laudo médico falso indicando que o câncer que tinha acometido o ex-presidente Lula tinha voltado a se manifestar. O objetivo da armação seria impedir que o ex-juiz Sergio Moro decretasse a prisão do ex-presidente, que então respondia ao processo do Triplex da OAS na primeira instância.

A PROVA QUE É MENTIRA: Além de não ter apresentado qualquer prova, além da afirmação de que “quem me contou isso é alguém que circula no mais restrito círculo do mais informado grupo que acompanha os bastidores da política brasileira”, o suposto laudo falso jamais foi produzido ou apresentado em qualquer circunstância. Como se sabe, o câncer de Lula jamais voltou, e ninguém nunca jamais disse que voltaria, além da própria Joice e sua “fonte” secreta.

 

MENTIRA 8: Sofro ameaças porque tenho provas de corrupção no Paraná

Em março de 2017, a então jornalista publicou em um blog que mantinha a denúncia de que um importante membro do governo do Estado do Paraná teria recebido propina de um construtora/empreiteira baiana “dessas maiores do Brasil”. A propina seria de R$ 3 milhões, segundo Joice, e ela teria provas em uma gravação de celular.

A PROVA QUE É MENTIRA: Após sua postagem alcançar mais de 150 mil visualizações, e dezenas de comentários pedindo que a jornalista apresentasse a gravação telefônica, ela se recusou a fazê-lo, dizendo que havia recebido ameaças de morte dela e de sua família caso tornasse a gravação pública. Nunca ninguém, além da própria ex-jornalista (que disse ter recebido a informação de uma “fonte segura que não poderia se revelar), afirmou ou ouviu falar da tal propina.

MENTIRA 9: Fui demitida de Veja por falar mal de Lula, Dilma e do PT

Em dezembro de 2015, Joice publicou vídeo afirmando que foi demitida da revista Veja por pressão de Lula e do PT, depois de dizer em um programa da TVeja que “Lula e Dilma roubaram a esperança do país”. Segundo ela, diretores da revista teriam admitido que não tiveram outra solução a não ser ceder à pressão do ex-presidente e de seu partido. Anos antes, quando foi demitida de uma TV do Paraná, havia dito que o motivo seria as denúncias que fazia ao então governador daquele Estado, Beto Richa (PSDB).

Dias depois, Joice voltou a contar a mesma mentira no canal Terça Livre, em entrevista ao jornalista Allan dos Santos com a presença do escritor Olavo de Carvalho, na época seus aliados, e que hoje ela acusa de comandarem uma rede de mentiras e ataques virtuais à sua pessoa. A mentira de Joice também foi espalhada por sites de Direita que hoje são acusados de fazer parte da mesma rede de difamação e mentiras, como o Correio do Poder.

A PROVA QUE É MENTIRA: Além de jamais ter apresentado qualquer prova sobre o que afirmou, e além de ninguém na revista jamais ter corroborado a versão da ex-jornalista, a história de Joice carece até de verossimilhança, além de veracidade. A revista Veja e seus jornalistas já publicaram literalmente milhares de críticas e ofensas a Lula e a Dilma, nunca ninguém foi demitido por isso, pelo contrário, muitos jornalistas até ganharam propulsão na revista exatamente por ofenderem e criticarem Lula, Dilma e o PT.

MENTIRA 10: Gleisi incita o terrorismo, fere oito leis criminais e pode ser presa

Em abril de 2018, Hasselmann publicou vídeo em que afirmou que a então presidenta do PT e candidata a deputada federal, Gleisi Hoffmann, havia dado uma entrevista ao canal de TV Al Jazeera em que incitava o terrorismo, feria a Lei de Segurança Nacional e convidava terroristas a ajudarem o PT a tirar Lula da prisão. Disse também que Gleisi “cometeu vários crimes e feriu pelo menos oito leis brasileiras com este vídeo que foi gravado para a TV Al Jazeera, que é a TV oficial da tropa lá no Oriente Médio”. O vídeo, de 24 minutos e 41 segundos de ataques a Gleisi e ao PT, foi visto por mais de dois milhões de pessoas durante o período eleitoral. Na entrevista a que Joice se referia, tudo que Gleisi disse foi:

Há manifestações todos os dias em todos os lugares do país e há mais de uma semana nós estamos acampados em frente à Polícia Federal onde Lula está preso. Em todo mundo há manifestações de solidariedade ao ex-presidente e pedidos pela sua liberdade. Convido a todos e a todos a se juntarem conosco nessa luta.

A PROVA QUE É MENTIRA: Joice jamais citou quais foram as oito leis brasileiras feridas nem os vários crimes de Gleisi. A deputada do PT jamais sofreu qualquer denúncia por particulares, pela polícia ou pelo Ministério Público por qualquer assunto relacionado à entrevista referida por Hasselmann.

MENTIRA 11: MST derruba linhas de transmissão de energia na Bahia

Em novembro de 2017, Joice Hasselmann publicou vídeo afirmando que o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) estava praticando atos terroristas no estado da Bahia. Entre tais atos, estaria o de derrubar e destruir postes e linhas de transmissão de energia elétrica, com o intuito de deixar fazendas produtivas sem luz e, depois, invadi-las para tomar as terras de seus donos. Para corroborar sua mentira, Joice exibiu um vídeo falso, onde supostos membros do MST cometiam vandalismos.

Seu vídeo foi amplamente divulgado pelos mesmos sites que hoje reproduzem os ataques que a deputada vem sofrendo de membros do governo federal e da família Bolsonaro, como a Folha Política (imagem acima).

A PROVA QUE É MENTIRA: A fake news propagada por Joice foi amplamente desmentida e denunciada em órgãos de imprensa e agências de checagem. Na realidade, este caso se tratou de uma propagação de fake news de manual, dessas que ganham diferentes contornos e versões na medida em que vão sendo replicadas por seus propagadores. O site www.boatos.org explicou a farsa do vídeo exibido por Joice e desmentiu a fake news, coisa que a deputada não fez até hoje.

 

MENTIRA 12: Dilma pode ser interditada e sair da Presidência porque é louca

Em maio de 2016, Joice publicou vídeo afirmando que a então presidenta Dilma Rousseff estaria prestes a sofrer uma ação judicial para retira-la da presidência por problemas mentais. O motivo seria o suposto desejo da então presidenta de conceder indulto penal a 38 mil mulheres encarceradas na data do Dia das Mães, “inclusive aquelas que haviam matado a própria mãe”. Novamente, o vídeo da então jornalista foi amplamente republicado pelos sites que a deputada agora acusa de propagarem fake news contra ela (imagem acima).

A PROVA QUE É MENTIRA: Era impossível que Dilma quisesse conceder indulto a 38 mil presas, uma vez que este era, à época da notícia falsa, o número total de mulheres presas no sistema carcerário nacional. A origem da fake news era um pedido feito por 80 entidades de Direitos Humanos, que chegou às mãos da então presidenta, para que se concedesse indulto às mulheres presas acusadas de tráfico por terem sido capturadas portando pequenas quantidades de droga. O Instituto de Advogados do Brasil, uma das instituições que assinavam o documento, informou os números corretos sobre a questão.

 

MENTIRA 13: Dilma vai dar um golpe, prender jornalistas e instaurar a censura 

Em abril de 2016, Joice afirmou na TVeja que a então presidenta Dilma pretendia dar um golpe de Estado no Brasil, decretando Estado de Emergência no país e prendendo e censurando opositores e jornalistas. Novamente, sua mentira foi espalhada pelos mesmos conhecidos sites.

A PROVA QUE É MENTIRA: Além de não apresentar nenhuma prova sobre o que afirmou, dizendo novamente ter sido informada por uma “fonte anônima que conhecia os porões do poder”, nada nem perto do que anunciou Joice veio a ocorrer. Também foi Joice a única jornalista ou ser humano que aventou esta hipótese.

MENTIRA 14: Recebi um e-mail de Dilma me ameaçando

Em setembro de 2017, Joice afirmou que, às vésperas da votação da abertura do processo de impeachment contra Dilma, teria recebido da própria então presidenta um e-mail contendo ameaças contra ela. O mesmo e-mail teria sido enviado a outros jornalistas que seriam críticos ao governo Dilma. Novamente, o vídeo foi amplamente divulgado nos sites conhecidos por reproduzir fake news, como o Jornal da Cidade.

A PROVA QUE É MENTIRA: Nunca nenhum jornalista, nem Joice nem nenhum outro, apresentou o tal e-mail.

MENTIRA 15: MST vai sabotar manifestação de rua da Direita

Em dezembro de 2015, Joice publicou vídeo afirmando que uma fonte sua, que trabalharia “nos serviços de inteligência do Brasil”, havia lhe passado a informação de que o MST teria infiltrado agitadores e sabotadores em manifestações da Direita que aconteceriam em Brasília contra o governo Dilma Rousseff no mesmo dia da publicação do vídeo. Novamente, o vídeo da então jornalista ganhou as páginas de fake news de sempre.

A PROVA QUE É MENTIRA: Além de ninguém de nenhum serviço de inteligência do Brasil ter confirmado nada nem semelhante, e além de nenhum outro jornalista ter divulgado qualquer informação de mesmo teor, as manifestações a que se referia Joice ocorreram sem qualquer registro de confusão ou sabotagem.

 

MENTIRA 16: PT bloqueia ônibus na estrada para boicotar protesto contra Dilma

Em novembro de 2015, fazendo uso de uma montagem fotográfica grotesca, a então jornalista publicou vídeo afirmando que o PT teria impedido 300 ônibus com manifestantes de diferentes estados do Brasil de chegar até Brasília, onde iriam participar de uma manifestação contra o governo Dilma. Novamente, o vídeo ganhou as páginas de fake news.

A PROVA QUE É MENTIRA: A fake news espalhada por Joice de tal forma foi ampliada pela rede de mentiras virtuais que membros da bancada do PT na Câmara se viram obrigados a desmontar a farsa, mostrando as grosseiras montagens que compunham a fake news.

MENTIRA 17: Dilma está fora de si, às raias da loucura e não pode conduzir o país

Em abril de 2016, às vésperas da abertura do processo de impeachment de Dilma, Joice publicou um vídeo afirmando que a então presidenta estava “completamente fora de si”, “às raias da loucura e sem nenhuma condição de conduzir o país”. Para tentar sustentar o que dizia, apresentou uma lista de remédios de venda e uso controlado (tarja preta) que seriam todos os medicamentos que viriam sendo ministrados a Dilma. A informação teria sido obtida por Joice junto a fontes internas do Planalto. Novamente, a mentira circulou na rede de fake news.

A PROVA QUE É MENTIRA: Na realidade, a fonte de Joice era uma nota que havia sido publicada na revista Isto É, com o mesmo teor do que o que foi afirmado por Joice. A então jornalista apenas acrescentara mais alguns medicamentos à lista original.

Posteriormente, Dilma Rousseff foi à Justiça contra a revista, provou que a informação era falsa e recebeu o direito de publicar uma resposta desmentindo a notícia falsa no mesmo semanário. Joice, por sua vez, jamais desmentiu a informação falsa, em que pese tenha sido amplamente desmentida pela imprensa na época.

Na sentença judicial, se lê:

Ser o objeto da publicação a pessoa ocupante da Presidência da República não autoriza qualquer meio de comunicação a divulgar deliberadamente quaisquer informações escondendo-se sob o manto do direito de informação, uma vez que tal direito tem que ser guiado pela veracidade do conteúdo publicado. O direito de resposta é pautado tanto pela ampla defesa quanto pelo direito público à informação verídica.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!