Vera Magalhães debate assunto que diz estar interditado; jornalista interditou debate de Lula no Roda Viva

Vera Magalhães

Ninguém pode acusar Vera Magalhães de não gostar de um clichê. Vera está chateada porque estão querendo “interditar o debate” sobre a terceira via.

De acordo com a jornalista, é o que o PT e Lula, junto com Bolsonaro, querem fazer ao “propagar em tons cabalísticos” que os dois serão os únicos candidatos viáveis em 2022.

Vera Magalhães usa sua coluna no Globo para debater um tema para que, de acordo com ela, está interditado. Sim, é isso aí.

“As eleições brasileiras desde 1989 sempre tiveram uma plêiade de candidatos. Por que raios isso seria diferente em 2022?”, escreve.

“Que haja um enxugamento dessa cartela, que partidos se unam previamente em torno do objetivo de chegar mais fortes a uma disputa que, sim, já começará de antemão com dois contendores fortes, é esperado e é racional”.

Funciona assim: quem tem mais intenção de voto nas pesquisas sai na frente na conversa. Quem tem mais voto, ganha.

“Bolsonaro tem todo o interesse em propagar o fantasma da volta de Lula, ao mesmo tempo que interessa ao ex-presidente se apresentar como o único capaz de nos livrar do flagelo da destruição bolsonarista. Pode ser que assim seja, mas o jogo não está nem de longe jogado”, diz ela.

Por enquanto, Vera tem de contentar com Ciro, que aparece com 8% no Datafolha.

Para além da estupidez, há o fato de que, se alguém tentou interditar um debate, foi Vera Magalhães.

Em abril do ano passado, ela vetou Lula no Roda Viva, onde é apresentadora.

“Ele foi convidado no ano passado, antes da minha gestão. Quis aprovar a bancada. Diante do não, se recolheu. Não vai usar o programa para retomar uma polarização nefasta ao país e que é tudo que o bolsonarismo quer”, declarou no Twitter.

“Lula não é player da crise de covid-19. É um condenado em prisão domiciliar. Por isso e por ter mais de 60 tem de ficar em isolamento. Emular esse espantalho político é tudo que Bolsonaro quer para cortina de fumaça dos seus erros”.

O ex-presidente nunca esteve em prisão domiciliar. Ainda que estivesse, a entrevista seria absolutamente legítima. Vera acabou desautorizada pela TV Cultura, que lembrou que as posições dela “não refletem as da emissora”.

O verdadeiro debate sobre a terceira via é sobre a burrice dos porta-vozes da terceira via.