Vereador registra ocorrência policial contra empresário bolsonarista por vídeo em hospital

Publicado originalmente no Sul21:

Por Marco Weissheimer

O vereador Leonel Radde (PT) registrou, nesta quinta-feira (4) um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil contra o empresário Antônio Carlos da Silva Ostjen. Segundo o vereador, o empresário seria o responsável pela realização de um vídeo nas dependências do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, no qual questiona as informações divulgadas pelo hospital sobre a situação caótica na UTI em função da superlotação com pacientes de covid-19, bem como sobre a necessidade de alugar um contêiner para guardar os corpos de pacientes que morreram em razão da doença, já que a capacidade do necrotério estaria esgotada.

O vídeo mostra a recepção do hospital Moinhos e seu autor afirma: “Não tem tumulto, as pessoas tranquilas…Se tu tem um alarde, um problema sério de saúde, as pessoas que têm seus entes hospitalizados não estariam aqui na rua, olhando por seus mortos, chorando na frente. Gente, olha a emergência, não tem ninguém…Na barraca do covid, que deveria estar cheia de gente, não tem ninguém. Não tem uma alma. Eu não estou aqui para levantar falso testemunho, mas está muito estranho”.

O BO registrado por Leonel Radde lembra que a Lei de Contravenção Penal prevê o seguinte delito no seu artigo 41: “Provocar alarme, anunciando desastre ou perigo inexistente, ou praticar qualquer ato capaz de provocar pânico ou tumulto”. “O dano foi tamanho que notas oficiais e entrevistas foram necessárias para minimizar a situação causada pelo indivíduo, embora o seu vídeo ainda esteja sendo propagado”.

O vídeo circulou pelas redes sociais, nesta quarta-feira, levando o hospital a divulgar uma nota de esclarecimento, rebatendo o conteúdo do mesmo e qualificando-o como “irresponsável” (ver abaixo). Às 14h desta quinta-feira, o índice de ocupação de leitos de UTI no Moinhos de Vento era de 130,30%.

Sul21 entrou em contato por telefone com o empresário que preferiu não se manifestar a respeito, seguindo orientação de seu advogado, conforme explicou. Questionado sobre se era, de fato, o autor do vídeo, afirmou: “Não vou me manifestar”.

Nota oficial do Hospital Moinhos de Vento

A direção do Hospital Moinhos de Vento divulgou nota oficial afirmando que o vídeo, “além de captado sem autorização, traz informações imprecisas”. Na avaliação do hospital, “esse tipo de conteúdo é irresponsável e fere princípios legais, pois expõe pacientes da instituição sem autorização de uso da imagem”. Confira a íntegra da nota:

O Hospital Moinhos de Vento esclarece que o vídeo gravado nas dependências da instituição e que sugere que a situação vivida é tranquila não reflete a realidade. Além de captado sem autorização, traz informações imprecisas. O hospital registra, hoje, os mais altos índices de internações e agravamento de casos.

Conforme já divulgado em nota nesta semana, a instituição está com mais de 100% de ocupação dos leitos de terapia intensiva e também opera acima da capacidade destinada a pacientes infectados pelo coronavírus nas áreas de internação.

A ideia de normalidade sugerida pelo vídeo é, na verdade, resultado das medidas adotadas pelo Comitê de Enfrentamento da COVID-19, visando manter os padrões de qualidade assistencial e médica da instituição. O hospital abriu leitos de terapia intensiva de retaguarda e fechou a tenda de atendimento a pacientes com suspeita de infecção pelo coronavírus, citada na gravação, direcionando para o atendimento da Emergência, que só recebe casos classificados como vermelho e laranja. Também, limitou a transferência de pacientes que necessitam de leitos no Centro de Terapia Intensiva. Os esforços são voltados a proporcionar o suporte necessário para ocasionar os melhores desfechos possíveis. Familiares de pacientes com COVID-19 não circulam pelo hospital e são orientados a permanecer em casa, uma vez que as visitas são vedadas nestes casos.

O Hospital Moinhos de Vento reforça que esse tipo de conteúdo é irresponsável e fere princípios legais, pois expõe pacientes da instituição sem autorização de uso da imagem. Também alerta a população para que desconfie e não compartilhe informações não oficiais e duvidosas. Além disso, os profissionais de saúde da instituição se sentiram desrespeitados num momento em que muitos estão privados do convívio familiar e com todas as atenções e esforços voltados ao atendimento dos pacientes com um único objetivo: salvar vidas.

Hospital Moinhos de Vento

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!