Vice-presidente da CPT chama de “mercenários” líderes católicos que barganharam com Bolsonaro. Por Ludmilla Balduino

Publicado originalmente no De Olho nos Ruralistas 

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) posicionaram-se contrárias — e de forma indignada — à reunião de seis redes de rádio e TV católicas com Jair Bolsonaro no dia 21 de maio. No encontro online que durou cerca uma hora e dez minutos, os representantes dos veículos de comunicação tentaram barganhar verbas do governo por propaganda governista.

A nota pública assinada pelo vice-presidente da CPT, Dom José Ionilton Lisboa de Oliveira, e divulgada no domingo (07), sobe o tom em relação aos religiosos governistas:

— Vergonhoso! Mercenários! Lembrei-me das palavras de Jesus no discurso sobre o Bom Pastor. Disse Jesus que o Bom Pastor vem para que todos tenham vida e o Mau Pastor, o Mercenário, vem para roubar, matar e destruir.

Dom José Ionilton fez também referência à famosa passagem dos vendilhões do templo, onde Jesus expulsa mercadores que invadiam o espaço religioso. Ele também é bispo da prelazia de Itacoatiara (AM), em um estado que tem um dos maiores índices do país de contágio por Covid-19.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) explicou em nota que “nenhuma dessas emissoras participantes da reunião representa a Igreja Católica, nem fala em seu nome e nem da CNBB”. “A Igreja Católica não faz barganhas”, diz a organização, que respondeu no próprio sábado (06) à divulgação da reunião feita pelo Estadão.

Os dois textos, da CPT e da CNBB, estão alinhados com o discurso do papa Francisco, que tem se sensibilizado com o genocídio dos povos indígenas do Brasil. O título da nota da CPT, “É preciso indignar-se”, refere-se a trecho de uma exortação apostólica feita por Francisco, chamada “Querida Amazônia“.

‘UMA TV DEVE FREAR UM DESGASTE DE IMAGEM?’

Segundo a nota da CPT, cinco entre as nove emissoras do país que se denominam católicas participaram da barganha com o governo federal: padres e representantes das Pai Eterno, Rede Vida, Canção Nova, Século 21 e Evangelizar tentaram negociar a produção de conteúdo a favor do governo federal em troca de dinheiro.

Também estavam presentes políticos que falaram em nome de algumas emissoras e mediaram a reunião. Entre eles, os deputados federais Francisco Junior e Victor Hugo, ambos do PSL de Goiás.

O padre e cantor Reginaldo Manzotti, da Associação Evangelizar é Preciso, disse na reunião que é preciso agilizar os repasses do governo federal. Além da TV, ele tem concessões de rádio em Curitiba. Em contrapartida, prometeu trabalhar para frear o desgaste popular de Bolsonaro e de seu governo.

O vice-presidente da CPT pergunta: “Uma TV de inspiração católica deve se submeter, por dinheiro, a fazer este papel ridículo de ‘frear o atual desgaste da imagem’ do governo?”

O padre Welinton Silva, representante da TV Pai Eterno, de Trindade (GO), na região metropolitana de Goiânia, disse que trabalha “com pequenas doações e com baixa comercialização”. Por isso precisa de “um apoio maior por parte do governo para continuar comunicando a boa notícia e levando ao conhecimento da população aquilo que de bom o governo pode estar realizando e fazendo para o nosso povo”.

A nota da Comissão Pastoral da Terra assinada por Dom José Ionilton pergunta: “O que este padre chama de ‘aquilo de bom que o governo’ realiza e faz?”

A TV Pai Eterno é vinculada ao Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, conhecido nacionalmente por realizar a Festa do Divino Pai Eterno, que acontece todos os anos entre os meses de junho e julho, atrai cerca de 3 milhões de andarilhos e movimenta a caixinha da igreja. Em 2020, devido à pandemia do novo coronavírus, a romaria foi online.

EMPRESÁRIO FEZ DEMANDA POR TECNOLOGIA AGRÍCOLA

O representante da Rede Século 21, o padre jesuíta estadunidense Edward Dougherty, defendeu que o governo dialogue com empresários interessados em trazer tecnologia agrícola para o País. Ele comanda concessão em Campinas (SP):

— Eu tenho tecnologias que podem ajudar o Brasil. Estou querendo apresentar isso, mas está tudo fechado, a Secretaria de Agricultura. Tenho contatos e investidores dispostos a vir. Se uma tecnologia é aprovada nos Estados Unidos, por que tem de ser aprovada aqui no Brasil fazendo testes também? São coisas que eu não entendo, mas eu oro pelo presidente.

Entre os presentes na reunião estava também João Monteiro de Barros Neto, presidente da Rede Vida, canal de TV católico mais popular do Brasil. Não demorou muito para ele se soltar e se apresentar em sintonia com o atual governo em uma fala dirigida a Bolsonaro: “Presidente, nós temos muito em comum. Nós acreditamos na transformação da sociedade pela comunicação, presidente, é por isso que precisamos do seu apoio”.

Membros do governo federal, do PSL e da família Bolsonaro são investigados na CPI das Fake News, que apura a divulgação de notícias falsas que podem ter influenciado diretamente na eleição presidencial de 2018.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!