VÍDEO: Após vexame da Al Jazeera, Ana Amélia elogia Arábia Saudita, acusada de financiar terrorismo

POR RAYMUNDO GOMES

Um dia depois de tentar associar a colega de Senado Gleisi Hoffmann (PT-PR) à Al Qaeda, apenas porque Gleisi deu uma entrevista ao canal de TV Al Jazeera, a senadora Ana Amélia (PP-RS) elogiou o regime da Arábia Saudita, este sim acusado de patrocinar o terrorismo. De quebra, ainda chamou de “estrategista” o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong Un.

Os elogios ocorreram nesta quinta-feira (19), em reunião da Comissão de Relações Exteriores do Senado. Na reunião, Ana Amélia assumiu a liderança do recém-criado Grupo Parlamentar Brasil-Arábia Saudita.

Depois de recordar que tem muitos amigos na comunidade árabe do Rio Grande do Sul, a  senadora do PP elogiou o rei Salman bin Abdulaziz, por permitir que mulheres dirijam automóveis e entrem em cinemas, minúsculas reformas introduzidas no último ano em um país onde as mulheres não possuem quase nenhum direito.

– Quero saudar o reino da Arábia Saudita pelas medidas que o rei vem tomando no sentido de uma liberalização lenta e gradual. Precisamos entender que as mudanças têm que ser respeitando a cultura de cada país. Nós, ocidentais, não podemos interferir naquilo que é a essência de uma civilização – disse Ana Amélia. 

Na verdade, quem manda hoje na Arábia Saudita é um dos filhos do rei, o príncipe Mohammad bin Salman, de 32 anos. Aos 82 anos, Salman estaria com Alzheimer.

Tanto o rei quanto o príncipe estão longe de ser os déspotas esclarecidos que Ana Amélia imagina. Mohammad mandou prender dezenas de ativistas de direitos humanos, interveio no Iêmen e criou uma crise diplomática com o Catar – justamente o país que patrocina a rede Al Jazeera. O príncipe considera a Al Jazeera perigosa, por fazer um jornalismo considerado independente demais dentro do mundo árabe.

Ironicamente, Ana Amélia tenta colar Gleisi ao terrorismo associando-a a um símbolo de renovação democrática no mundo árabe – a Al Jazeera – ao mesmo tempo em que elogia o regime obscurantista da Arábia Saudita, suspeito de financiar – justamente – o terrorismo islâmico.

Logo depois, Ana Amélia qualificou de “estrategista” o ditador norte-coreano, Kim Jong Un, que vem tentando desenvolver mísseis nucleares para ameaçar os países vizinhos.

Nas últimas semanas, Kim mostrou disposição de dialogar com a Coreia do Sul e os Estados Unidos, deixando perplexa a comunidade internacional.

– Há alguns meses, estive na Ásia e mudou completamente, positivamente, o nível de tensão na região. Hoje, já estou revendo meu conceito sobre o líder Kim Jong In (sic), estou achando que ele é um estrategista, porque caminhou numa direção para chegar em outra direção, completamente diferente oposta, que é do entendimento e da concertação – disse Ana Amélia, na sabatina do futuro embaixador do Brasil na Coreia do Sul.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!