VÍDEO – Bolsonarista leva cartão vermelho e bate em juíza dentro de universidade

Um jovem defensor de Jair Bolsonaro agrediu a socos uma mulher durante uma partida de futebol de salão na quadra de esportes da Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar), no litoral do Estado.

Um boletim de ocorrência foi registrado numa delegacia policial da cidade de Parnaíba, a segunda maior do estado. O agressor foi identificado como Rodrigo Quixaba, de 30 anos. A vítima é a árbitra de futebol Eliete Fontenele, de 42 anos.

Eliete, a vítima, trabalha com esportes há mais de 20 anos. Foi atleta e hoje é árbitra de futebol em Parnaíba.

A universidade soltou uma nota oficial sobre o caso:

“UNIVERSIDADE FEDERAL DO DELTA DO PARNAÍBA
CAMPUS MINISTRO REIS VELLOSO

A Direção do Campus Ministro Reis Velloso vem, por meio desta nota, tornar público o REPUDIO de toda e qualquer ameaça ou agressão ocorrida nas dependências do Campus.

Recentemente tivemos dois episódios lamentáveis, um de agressão durante atividades esportivas concordadas aos alunos e um outro episódio de ameaça à família de um professor do campus. Em ambos os casos serão aplicadas as normas regimentais assim como o Campus contribuirá com os órgãos de segurança e os procedimentos legais adotados em cada caso.

Os processos de sindicância oficiais serão iniciados imediatamente para que sejam tomadas as providências legais. Será nomeada uma comissão para apuração administrativa, cooperando com os demais órgãos, também acionados, para elucidação do caso, seguindo os ritos da lei e os regramentos institucionais.

Sobre o ocorrido durante um evento esportivo entre estudantes nesta segunda-feira, esta Direção vem a público informar que, a partir de então, estão proibidas todas as atividades na quadra esportiva do Campus até a apuração do referido caso.

Desta forma, a Direção reitera seu compromisso com a integridade e o respeito entre os agentes da comunidade acadêmica e comunidade externa, norteando-se sempre pelos aspectos normativos desta Instituição de Ensino Superior, ao tempo que se solidariza com as vítimas e enseja o movimento contra todo tipo de violência.

Manteremos a comunidade informada dos desdobramentos legais, dando toda transparência a investigação para os dois casos citados”.

Rodrigo Quixaba agrediu a juíza. Foto: Reprodução

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!