VÍDEO: Com Guedes, Maia, Alcolumbre e cia., Bolsonaro diz que respeita o teto de gastos

Ao lado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, Jair Bolsonaro fez agora há pouco um pronunciamento em frente ao Palácio do Planalto, na noite desta quarta-feira (12).

Também estava presente o ministro da Economia, Paulo Guedes, pivô da polêmica envolvendo o teto de gastos, após defender que o governo quebre a regra no próximo ano a fim de assegurar a reeleição de Bolsonaro.

“Nós respeitamos o teto de gastos”, disse o presidente da República. Maia e Alcolumbre também discursaram e reafirmaram a responsabilidade fiscal.

O clima esquentou nesta terça, 11, quando Paulo Guedes sinalizou que a quebra do teto de gastos era nociva para o governo – ou seja, não atendia os interesses de quem de fato garante Bolsonaro no poder: o mercado.

Como Maia e Alcolumbre não passam de garotos de recado desse grupo, forçaram o presidente a seguir a tese do ministro da Economia, abandonando o núcleo desenvolvimentista, liderado pelos militares, que queriam rumar na direção contrária.

Entre outras coisas, o teto de gastos dificulta a manutenção do auxílio emergencial na pandemia e mais investimentos em gastos sociais como saúde, educação e assistência social. A manutenção dessa política é o sonho de consumo de todo banqueiro.

A dúvida que fica é: até quando Paulo Guedes vai continuar mandando no governo, mesmo batendo de frente com os generais?

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!