VÍDEO – Exposição de arte indígena é vandalizada em Embu das Artes

A ARTE CONSTROI UM MUNDO MELHOR.No presente ano de 2019, declarado pela UNESCO como o Ano Internacional das Línguas Indígenas, mais que nunca se faz necessário defender com veemência o movimento artístico de Embu das Artes, que ainda começa lentamente a abrir espaço para as criações tradicionais e contemporâneas de povos originiários e já enfrenta seríssimas dificuldades. Ocorreu que nessa terça-feira, 16 de julho de 2019, no Centro Cultural Mestre Assis, a nascente exposição "M'bai" amanheceu com diversas de suas obras destruídas e outras gravemente danificadas por uma ação criminosa, que está nesse momento sob investigação.Agrava a seriedade do ataque a sensível possibilidade de que tenha sido motivada por racismo, um horrível crime de ódio, pois a exposição busca inaugurar um processo de maior visibilização da arte indígena, e os danos foram quase em sua totalidade dirigidos às obras desses povos originários.Poucos sabem, mas a cidade de Embu das Artes é, desde sua raiz, indígena: foi fundada pelos Tupiniquins e Guaranis. Seu próprio nome "Embu" é uma aculturação do nome M'bai (daí o nome de nossa mostra), aculturação essa que na história já chegou, por muitas vezes, à violência e abominação completa de etnocidio e genocídio de populações inteiras.Mas vimos a público informar que a beleza inexpugnável da cultura indígena novamente floresce na cidade, e não teme, nem será expulsa por atos de afronta. Chega modestamente e querendo diálogo, com uma pequena, mas muito simbólica mostra. Vem também com determinada esperança de que estará ao lado dos batalhadores a artistas de diversas origens e ofícios existentes no município, a fim de reviver um modo ancestral de convivência com a natureza e, portanto, com o ser humano, sendo assim capaz de vencer qualquer desafio.Assine a petição pública, repasse esse texto, colabore com a ascenção de uma consciência de proteção dos modos e culturas dos povos originários para que a nossa arte, agora ressignificada também em arte de protesto, possa continuar a florescer.MARGARITH FOGADeclaro por meio desta que apoio a realização da exposição M'bai em Embu das Artes, e insto os poderes públicos todos a garantir a proteção e recursos necessários para que possa permanecer, inclusive a segurança dos artistas expositores, bem como a apuração e responsabilização devidas, inclusive com reparação de danos aos artistas. Comemorando ao Ano Internacional das Línguas Indígenas manifesto total repúdio a qualquer ato de violência contra a mostra, que deve ser mais do que nunca garantida e que através da arte fará os direitos e manifestações artísticas livres dos povos originários e dos artistas em geral prevalecer.Autorizo a apresentação dessa declaração junto aos órgãos de funções legislativas (Câmaras, Assembléias, Congresso, Senado e suas respectivas comissões e tribunais de conta), executivas (ouvidorias, controladorias, procuradorias, secretarias, delegacias de polícia, entre outras), judiciária e, especialmente das funções essenciais à justiça (Ministério Público e Defensoria Pública), além de órgãos internacionais como a Corte Internacional de Direitos Humanos e demais órgãos da OEA e da ONU (especialmente a UNESCO).CURADORIA MARGARITH FOGA

Posted by M'Bai Mostra M'Bai on Friday, July 19, 2019

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!