VÍDEO: Fã queima discos de Sérgio Reis, após cantor abraçar o bolsonarismo e ameaçar golpe

Sérgio Reis chora e diz que Bolsonaro estava “muito abatido” e “muito doente”. Foto: Reprodução

Um fã resolveu deixar de gostar de Sérgio Reis da maneira mais direta: queimando os discos dele.

Discos de Sérgio Reis no fogo!

Luciano Queiroz colocou os LPs de Sérgio Reis no fogo de sua casa.

Fã queima discos de Sérgio Reis, após cantor abraçar o bolsonarismo e ameaçar golpe. Foto: Reprodução/Twitter

E escreveu.

No Twitter:

“Sergio Reis, esse será o seu lugar.. na lata de lixo da história!”

Sérgio Reis está triste

Cantor está deprimido e passando mal, com uma crise de diabetes depois da repercussão de um áudio em que afirmou que caminhoneiros, financiados por produtores de soja, parariam o país em setembro até que o Senado afastasse os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de seus cargos.

“Se em 30 dias não tirarem os caras nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra. Pronto. É assim que vai ser. E a coisa tá séria”, afirmou ele em uma conversa com um amigo que veio a público no fim de semana.

Áudio circulou na cúpula do Judiciário e entre parlamentares. E foi reproduzido por veículos de notícia. O cantor tinha divulgado também um vídeo, mais ameno, em que convidava apoiadores de Bolsonaro para o protesto em Brasília e em outras cidades, marcado para dia 7 de setembro.

“Ele está muito triste e depressivo porque foi mal interpretado. Ele quer apenas ajudar a população. Está magoado demais”, afirma a mulher de Reis, Ângela Bavini. “O Sérgio foi induzido por pessoas que dizem estar em um movimento tranquilo. No fim, todo mundo vaza [desaparece], e sobra para ele, que é uma celebridade”.

A péssima repercussão do áudio estaria fazendo com que ele “caísse na real” sobre o resultado de participar diretamente de movimentos como o do 7 de setembro. De acordo com ela, o cantor jamais pensou em invadir o STF e quebrar tudo. “Ele falou no impulso, mas estava conversando com um amigo”, afirma Ângela, contrariada porque a conversa, informal, foi divulgada nas redes sociais sem o conhecimento dele.

Com informações de Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo.