VÍDEO: Gilmar mostra ‘quebra da imparcialidade’ de Moro no processo contra Lula

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes elencou motivos que evidenciam parcialidade do então juiz Sergio Moro no processo da Operação Lava Jato contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Verifica-se que o acordo foi juntado aos autos da ação penal cerca de três meses após a decisão judicial que o homologara. Essa demora parece ter sido cuidadosamente planejada pelo magistrado para gerar verdadeiro fato político na semana que antecedia o primeiro turno das eleições presidenciais de 2018”, afirmou.

“Resta claro que as circunstâncias que permeiam a juntada do acordo de delação de Antonio Palocci no sexto dia anterior à realização do primeiro turno das eleições presidenciais de 2018 não deixam dúvidas de que o ato judicial encontra-se acoimado de grave e irreparável ilicitude”, disse Mendes durante sessão da 2ª Turma do STF.

Veja:

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!