VÍDEO – Alegando ordem judicial, polícia tenta suspender “boa noite, Lula” em vigília em Curitiba

A decisão do desembargador Fernando Paulino da Silva Wolff Filho, ao por fim ao recurso de agravo de instrumento interposto pelo PT no interdito proibitório, devolvendo o processo ao primeiro grau, não deixa dúvidas:

“Ressalvo, por outro lado, o legítimo direito do agravante (PT/PR) e da interessada CUT/PR de exercerem a posse do imóvel por eles locado defronte à Superintendência da Policia Federal, até porque se trata de bem particular que não é objeto do feito.”

Na mesma decisão, o desembargador Wolff disse que somente as manifestações feitas na rua é que deveriam ser coibidas, inclusive com aplicação de multa aos particulares, uma vez que, na avaliação dele, o PT e os movimentos que são réus no interdito proibitório não tem como dar conta de atitudes de terceiros.

A posição do policial na Vigília vai em flagrante descumprimento à ordem judicial. Ele usa a própria decisão para descumprir a ordem de Wolff.

O vídeo é de Eduardo Matysiak.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!