VÍDEO: Joice admite que enganou o Brasil ao promover Bolsonaro mesmo ciente de que era “burrão e limitado”

A ex-líder do governo Bolsonaro Joice Hasselmann diz que, desde a campanha, os aliados mais próximos sempre souberam que ele “era burrão” e limitado.

O combinado, segundo ela, é que a própria cuidaria do Congresso, Paulo Guedes da economia e Sergio Moro do combate à corrupção.

Mas Bolsonaro, diz Joice, quis mais do que mandar beijinho e ficar com a fama, caso desse certo.

“Ele gostou demais da brincadeira”, comenta.

E passou a mandar.

Joice caiu, Moro também. Guedes ainda se mantém no cargo, mas já não é respeitado nem por antigos pares, no mercado financeiro.

Fala e não entrega.

A declaração de Joice, feita em entrevista, mostra o grau de irresponsabilidade dela.

Sendo verdade, ajudou a eleger uma fraude.

Em novembro de 2018, logo depois da eleição, foi ao ar uma entrevista dela a Roberto Cabrini em que disse o oposto sobre Bolsonaro.

“A turma do PT tentou colocar uma pecha em mim: que eu era o Bolsonaro de saias, como se fosse uma crítica. Eu falei: então, tudo bem. Eu sou o Bolsonaro de saias. Eu não considera uma crítica. Eu considero um elogio. Eu acho o capitão um homem admirável, sou firme tanto quanto ele, talvez até mais.”

Na mesma entrevista, ela fez juras de amor eterno a Bolsonaro.

Joice é uma fraude tanto quanto o político burrão e limitado (perverso, mas isso ela não disse) que ajudou a colocar no Planalto, no cargo público mais importante da nação.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!