VÍDEO: No Dia da Mulher, Dilma lembra que o golpe elegeu um “misógino, racista e homofóbico”

Dilma no Dia Internacional da Mulher. Foto: Reprodução

No Dia Internacional da Mulher, a ex-presidente Dilma Rousseff lembrou da tragédia que é ser uma mulher na era em que o neoliberalismo é a tônica contra a crise.

“O Dia Internacional da Mulher de 2021 será lembrado para sempre como uma data em que a humanidade estava submetida a uma das maiores crises sanitárias de nossa história. Ficará evidenciado que o neoliberalismo não tem respostas para as crises que não seja o aumento das desigualdades sociais, de gênero e étnicas produzindo imensa injustiça”.

Ela relembra as conquistas das mulheres durante os governos petistas e do papel das minorias.

“No Brasil, este oito de março nos faz refletir sobre o que as mulheres estão perdendo depois de tudo o que conquistamos em 13 anos de governos progressistas. No período em que governamos enfrentamos exclusões de classe, de gênero e étnicas”.

A ex-presidente lembra ainda que “é um fator de risco ser mulher negra e LGBT” no país e culpa o golpe pela eleição de Bolsonaro, que é “misógino, racista e homofóbico”.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!