VÍDEO: o belo discurso de Duvivier, no STF, contra a censura (ou “o dia em que Cármen Lúcia ouviu ‘bilau’ no Supremo”)

O melhor da peroração de Gregório Duvivier sobre a ameaça bolsonarista nas artes é a cara de Cármen Lúcia quando ele fala que o censor acorda para procurar “mamilos, pepecas e bilaus”.

Cármen, como de hábito, saiu da reunião com os artistas com uma declaração acaciana: “Censura não se debate, se combate”.

Mas, naquele breve instante, ela pareceu humana.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!