VÍDEO: Pastor com dívida de R$ 430 milhões compra helicóptero de R$ 61 milhões e vive em mansão na Barra

A mansão do pastor Márcio Pôncio no Rio

O Rio de Janeiro pode até se livrar de picaretas evangélicos como Marcelo Crivella na prefeitura, mas o problema está longe de ser resolvido.

Um certo Jonathan Couto, cantor gospel, será candidato a vereador pelo MDB com o nome “Jonathan Pôncio”. É uma referência à família de sua mulher, Sarah Pôncio.

Sarah é filha de Márcio Matos de Souza, o Márcio Pôncio, dono da Igreja Pentecostal Anabatista.

Márcio gosta de ostentar. É bíblico, alega. Tem mansões, lanchas, carros importados e um helicóptero de R$ 61 milhões, presente pelo aniversário de 47 anos.

Fez dinheiro com a fabricação e venda de cigarros. Quando a fonte secou, mudou de ramo e passou a vender Deus para trouxas.

Em maio, o juiz federal Eduardo Horta, da 2ª Vara Federal de Duque de Caxias, mandou publicar em edital a execução fiscal, com citação do pastor e do sócio, Marcello Araújo dos Santos, além da empresa New Ficet Indústria e Comércio de Cigarros e Importação e Exportação Ltda, pela dívida de R$ 429.862.694,10 (quase quatrocentos e trinta milhões de reais) em impostos à União.

Em 2011, a fábrica foi fechada pela Receita por sonegar R$ 1 bilhão, mas continuou operando através de liminares.

Outra empresa, a Quality In Tabacos, rendeu uma ação criminal no Tribunal de Justiça de Alagoas, onde o pastor mantém uma filial, diz o Extra.

Segue a matéria:

Em 2018, alguns de seus bens, e de grande parte de sua família e amigos com os quais mantém sociedade, (incluindo a filha Sarah, o genro Jonathan Couto e sua mãe, e sua mulher Simone Pôncio) foram bloqueados para saldar uma outra dívida de R$ 41 milhões.

Também por sonegação de impostos. Com um recurso, eles conseguiram derrubar a decisão e desbloquear os bens ao quitar cerca de 10% do saldo devedor, algo em torno de R$ 4 milhões na época.

Seguindo à risca o ditado “devo não nego, pago quando puder”, o pastor adquiriu o helicóptero Mercedes Benz EC145 Luxury, o segundo a voar no Brasil, como mostrou o filho Saulo, em seus stories. O primeiro modelo do tipo foi encomendado no início do ano por um empresário do ramo de agronegócios.

Com capacidade para dez pessoas e isolamento acústico para viajar sem fones para proteger os ouvidos, o brinquedinho é o objeto de desejo de muitos pilotos.

Além do mimo, o pastor Pôncio termina a construção de um palacete na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, que no último fim de semana recebeu dez esculturas de leões cujo valor no mercado chega a R$ 150 mil o par. E a casa, claro, tem heliponto.

Abaixo, o tour que o humorista Carlinhos Maia fez na propriedade dos Pôncios na Barra da Tijuca.