VÍDEO: Pastor pede por novo holocausto: ‘Deus, massacra eles! Malditos sejam os judeus!’

O pastor Tupirani da Hora Lores, da Igreja Pentecostal Geração Jesus Cristo, é um indigesto personagem do submundo religioso do Brasil.

Auto-proclamado “o último Elias”; Tupirani se descreve como o primeiro pastor preso pela ditadura democrática no Brasil.

Linguajar chulo, palavrões, queima de símbolos religiosos, maldições, interpretações duvidosas da Bíblia, discursos de ódio, oposição à sociedade e suas instituições, xenofobia, intolerância religiosa, homofobia, misoginia, marcam suas ‘celebrações’ e as bandeiras de sua Igreja.

Segundo o jornal EXTRA, em matéria de 2009, o pastor foi preso preventivamente – junto com seu fiel seguidor, Afonso Henrique Alves Lobato, de 26 anos à época – , por crimes de intolerância religiosa, injúria qualificada e incitação ao crime, após gravar vídeos ofensivos.

Os dois foram enquadrados no artigo 20 da lei 7.437, de 1985 (Lei Caó), que trata de preconceito contra raça, cor e religião, crimes inafiançáveis, com pena prevista de dois a cinco anos de prisão. Afonso e mais três jovens da mesma seita já haviam sido condenados por invadir e depredar um Centro Espírita, em 2008.

Já tendo sido condenado no Supremo à pena de 3 anos de reclusão, em regime aberto por praticar e incitar discriminação religiosa, Tupirani não para.

Nas redes, um vídeo do pastor pregando o Holocausto e pedindo para Deus massacrar os judeus, viralizou. Abaixo, outro vídeo do ‘último Elias’, com forte teor homofóbico.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!