VÍDEO: Policial do movimento antifascismo reage à ameaça de deputado bolsonarista: “não me intimida”

Desde 2013, a extrema direita tem realizado manifestações públicas contra a democracia. No Sul, chegaram até a atirar em um ônibus da caravana do ex-presidente Lula.

Na região de Bagé, São Miguel das Missões e São Borja, falanges fascistas ameaçaram fisicamente apoiadores do ex-presidente.

Muitos foram atingidos por pedras.

Em Chapecó, Santa Catarina, nem crianças que estavam em ato acompanhando seus pais foram poupadas. Houve chuva de pedra.

Um dos líderes dessas falanges, no Rio Grande do Sul, agora reclama do surgimento de brigadas antifascistas, que no último fim de semana colocaram bolsonaristas que sabotam a quarentena para correr.

Não houve violência, apenas a presença física nas ruas, que seus seguidores ocupavam. Mas esse líder da extrema direita, Ruy Irigaray, pediu ao Ministério Público que investigue Leonel Radde, que é policial civil, mas que não usa de sua função para incentivar protestos.

Neste vídeo, Radde respondeu ao deputado estadual Ruy Irigaray.

E que crime Radde cometeu?

Nenhum.

Radde, que já deu entrevista para o DCM TV, apenas se manifestou favoravelmente aos que participam de ato contra os fascistas nas ruas.

A manifestação favorável foi como cidadão e não como policial.

Não defendeu violência. Pelo contrário.

“Responsabilizo você (Ruy) por qualquer coisa aconteça comigo”, disse Leonel, no vídeo acima.

É Ruy quem prega a violência, inclusive com armas, como nas fotos que postou em rede social.

Seu comportamento é típico dos valentões, que, diante de uma reação justa, acusa o oponente de fazer o que ele próprio faz  pensa fazer. Foi choramingar no Ministério Público.

Esse Ruy faz parte dos 30% que ainda apoiam Bolsonaro.

Os demais 70% não concordam com a ideologia miliciana de Bolsonaro. Por isso, precisam ir para as ruas, para lembrar a minoria extremista de que não espaço para a politica de ódio que seu chefe defende.

“Não vou me intimidar”, diz Radde.

“Não incentivo a violência. Combato o fascismo e combater o fascismo é combater a violência”, afirmou.

Ruy Irigaray

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!